terça-feira, 20 de janeiro de 2009

REFLEXOES DE UM ALUNO


LUCAS DELBONI SOARES - SANTA MARIA DE JETIBA- ES


Alguns homens agridem as mulheres não só de forma física e sexual, mas também ferem os sentimentos delas, como:

· No TRABALHO, com salário menor e piadinhas;
· No TRÂNSITO, com xingamentos (Sua piloto de fogão),
· E nos SERVIÇOS DOMÉSTICOS, com machismo.

Quando acontece algum tipo de agressão física, a mulher deve denunciar para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) ou, também na Delegacia de Polícia.

Um homem pode muito bem fazer o que a mulher faz, como por exemplo, as tarefas do lar, e as mulheres também podem ocupar um cargo de chefia, como um homem, pois, todos devem ser tratados com o seu devido valor e respeito.

Quando se casam, a maioria das mulheres recebe o sobrenome do marido. Por que o marido não recebe o da esposa?
Esta é uma questão bem antiga, da época da escravidão.
Os donos dos escravos davam a eles o seu sobrenome, isso significava que os empregados/escravos faziam parte dos seus bens, eram propriedades deles.
Com o passar do tempo, isso se transformou em lei, isto é, quando se casava, a mulher teria que receber o sobrenome do marido, como propriedade dele.
Há alguns anos, a lei foi abolida, ficando a critério da mulher, se deseja receber o sobrenome do marido, ou não.
Na maioria das vezes, as mulheres recebem o sobrenome do marido após o casamento. Será que isto é correto? Porque do mesmo jeito que a mulher recebe o sobrenome do marido, o homem também poderia acrescentar ao seu nome, o sobrenome da mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário