segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Das mãos do eterno Carlos Drummond de Andrade, o poema "Lira Itabirana"

Poema escrito em 1984 ilustra atual realidade de mineiros e capixabas que sentem o horror ao verem de perto a morte do Rio Doce!!! Das mãos do eterno Carlos Drummond de Andrade, o poema "Lira Itabirana" 
“Lira Itabirana”
I
O Rio? É doce.
A Vale? Amarga.
Ai, antes fosse
Mais leve a carga.

II
Entre estatais
E multinacionais,
Quantos ais!

III
A dívida interna.
A dívida externa
A dívida eterna.

IV
Quantas toneladas exportamos
De ferro?Quantas lágrimas disfarçamos Sem berro?









Nota do blog: Poema de Carlos Drummond de Andrade sobre a exploração das terras mineiras pelas mineradoras para exportação e a eterna cadeia da dívida interna-externa. De 1984.

domingo, 15 de novembro de 2015

Ações do Projeto de Leitura -

Turmas envolvidas:  O trabalho de leitura contemplou as turmas de 7º ano, 6 ª e  7ª series
AÇÕES DE LEITURA.
A realidade atual afasta cada vez mais as crianças e adolescentes do hábito da leitura. Meios eletrônicos como computadores, celulares utilizados como computadores. Acesso as mídias sociais  de forma inadequada, associados à falta de incentivo e acesso a bons livros no meio familiar e ao pouco interesse de nossos alunos, são fatores que contribuem e aumentam a dificuldade para criar o hábito e tomar o gosto pela leitura.
Diante desse contexto, acreditamos ser urgente e necessário que escola busque resgatar o valor da leitura como ato prazeroso e requisito para emancipação social e promoção da cidadania.
Com essa certeza promovemos nas aulas de Língua portuguesa, atividades permanentes de leitura (durante o ano letivo, as atividades apresentadas aqui são referentes ao 1º e 2º trimestres) envolvendo os alunos, numa relação de troca com alunos de outras series e turnos da escola e com pessoas da comunidade que foram convidadas a participarem das leituras como ouvinte e também como leitores.
OBJETIVO GERAL
Desenvolver uma prática pedagógica que motive os alunos ao habito de leitura. Proporcionando momentos extrovertidos e agradáveis de leitura, Provocando o gosto pela diversidade textual.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Despertar nos alunos o desejo de ler, diferentes gêneros textuais, e viver a emoção e  os sentimentos provocados pela leitura .
 Possibilitar o acesso a diferentes tipologias textuais, buscando efetivar enquanto processo a leitura e a escrita.
Tornar o momento e o espaço de leitura potencializadores de conhecimento e magia.
Promover o aprimoramento do vocabulário, proporcionando melhor desempenho da oralidade e da escrita.
Aguçar o prazer pela leitura aumentando o potencial cognitivo e criativo.
Estimular o intercâmbio dessas leituras pessoas de comunidade.


ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

·         Encontros e travessias sem fim com os alunos, nos exercícios de ser criança e no borboletear em poesias com afetos e amizade. (Alunos lendo para as pessoas da comunidade)
 A Roda de leitura é uma atividade que integra o projeto de leitura. Esta é uma atividade simples despretensiosa, cujo objetivo principal é levar os alunos a gostarem de ler e interagirem com o texto de modo bem prazeroso.
                                    E a leitura saiu as ruas , as casas comércios e praças...
                           Alunas abordando as pessoas nas ruas, comercio e praças para a leitura de um poema"
                                       Cenário e os lugares preparados para as apresentações


                      Musicalizando a poesia " As borboletas"




                                  Solineia Plaster professora e escritora contando sobre suas aventuras como leitora"


                                 Animais da ilha do "Diario de um Naufrago"
                                             Estatua viva! ÁGUA"
Encontros e travessias sem fim com os alunos, nos exercícios de ser criança e no borboletar em poesias com afetos e amizade
A utopia esta lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.(Eduardo Galeano) Assim sou eu....não existo sem utopia..sem sonhos....sem um amanhã...

·         SOLTANDO COMO PALAVRAS
 A Sombra de uma arvore  Que da serviu de  varal Para a leitura de Poesias selecionadas pelos alunos.