quarta-feira, 24 de junho de 2009

Qual será o nome do patinho na lagoa?

Um patinho na lagoa. Parece sozinho, perdido, solitário, mas te garanto que ele nem está preocupado com isso. São apenas aparências. No momento dessa foto ele nadava ali todo senhor de si, como que pensando ter toda aquela água para si, poder se alimentar de pequenos peixinhos ou alimentos lançados pelas crianças. Olhar e ver toda aquela natureza exuberante ao seu redor e perceber que havia um cara todo bobo a lhe fotografar com um celular. Só uma coisa ele não podia pensar... sua foto vir parar no álbum do Orkut da C. Lúcia. ( Estão abertas as sugestões para o nome deste patinho.)Local da foto: Um lago do Pesque e Pague, px. da Praça VIII. Deixe sua sugestão no blog. clccphd.blogspot.com - Abraço!

terça-feira, 23 de junho de 2009

REFLETINDO

Renovar-se a cada manha, assim como o dia no seu ciclo intermitente de inícios e fins, assim como as estações do ano, assim como
o alvorecer que brilha no horizonte pintando de
cores vibrantes a aurora do dia.
Esforçar-se para que a vida seja sempre refletida
de brilho e alegria, através de imagens produzidas pela mente.
Não se importar com dificuldades, porque se elas existem
devem ser superadas e serem motivos para se buscar a
todo momento crescer mais ainda.
Amar incondicionalmente a todos, sem se importar com a quantidade do amor distribuído mas sim com a sua qualidade, de forma que ele seja o mais sincero e verdadeiro que se tem noticias. Nada tem mais valor aos olhos de Deus do que você, a sua vida, seus sonhos e planos, tanto é que ele amou você, porque queria que a sua vida fosse um rio de felicidade, um hino de júbilo e um ato de agradecimento.
Portanto vida a sua vida de tal forma que ela seja uma celebração diária de amor
(autor:José Renato Coan)Uma contribuição do meu amigo Jose Renato Coan

domingo, 7 de junho de 2009

ARTES

1) A música e a pintura sempre estiveram ao lado de Paul Klee. Dessa maneira, torna-se impossível "ler" as suas obras sem relacioná-las com a música. Ela embalava suas fantasias, sendo "seu surrealismo" voltado para seus sonhos poéticos, não se integrando à contemporaneidade musical da época (velocidade).

A) Proposta em sala de aulaO arte-educador poderá selecionar trechos do desenho animado Fantasia, de Walt Disney, em que aparecem representações visuais de obras musicais de compositores como Bach, Tchaikovsky, Ducas, Stravinsky, Beethoven, Schubert e outros. Ao passar esses trechos do filme, o professor estará sensibilizando o aluno quanto ao plano em que Klee trabalhava suas emoções, juntando a audição com o processo visual. O professor conduzirá seus alunos a perceber a harmonia e a atmosfera que compõem a musicalidade e a ingenuidade pueril das obras de Klee.
B) Vivenciando a proposta em sala de aulaNessa etapa do trabalho, o professor colocará como fundo musical trechos selecionados das composições musicais que apareceram na etapa anterior e pedirá aos alunos que, ao ouvi-los, identifiquem no livro sobre Paul Klee obras que apresentem uma maior "musicalidade". O professor poderá estabelecer alguns critérios com seus alunos e trabalhar com a livre associação de idéias, tentando fazer uma listagem de palavras que o aluno extrairá da observação das obras selecionadas (como por exemplo leveza, harmonia,
linha, cor, forma, magia, fantasia etc.) dando um maior enfoque às palavras que traduzirem o sonho imaginário e o realismo mágico encontrados na personalidade artística de Klee.
C) Conclusão da proposta
Sugestão de material:papel canson aquarela pincéis
O arte-educador poderá pedir a seus alunos que elaborem uma composição visual por meio de ressonâncias musicais - ecos de sons musicais gravados na memória - aplicando apenas o sentido de associação com os objetos e trabalhando com as reservas da imaginação e das lembranças (subconsciente).
2) "Não somente Klee utilizava as cores do círculo cromático, como todas as nuanças, todas as analogias melódicas imagináveis, mas ainda faz voltar à sua paleta as tonalidades marrom quente e cinza frio. E eis aí a forma geométrica simples também justificada pela cor: os contornos geométricos simples dão à cor uma sonoridade mais pura - ainda mais, para se poderem organizar melodicamente,as cores exigem um
ritmo de superfícies geométricas simples" (Schmidt, p. 108).
A) Proposta em sala de aula
O professor deverá pedir a seus alunos que selecionem todos os títulos das obras de Klee contidos no livro. Após essa seleção, que deverá ser feita por escrito, o arte-educador deverá pedir a seus alunos que criem um poema utilizando a sonoridade e os sentimentos contidos nas palavras encontradas. É importante lembrar a influência de Freud na obra de Klee.
B) Vivenciando a proposta em sala de aula
Para tornar essa proposta mais lúdica, o arte-educador poderá usar a receita do poema dadaísta, ou utilizar a linha poética do próprio aluno.
Receita do Poema Dadaísta- Pegue um jornal.- Pegue a tesoura.- Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema.- Recorte o artigo.- Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e coloque-as num saco.- Agite suavemente.- Tire em seguida cada pedaço, um após o outro.- Copie conscienciosamente na ordem em que as palavras são tiradas do saco.- O poema se parecerá com você.- E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público.(Helena: 1993, p. 51)
C) Produção plástica
O professor deverá pedir a seus alunos que selecionem as técnicas utilizadas por Klee e que adaptem uma delas para ilustrar o seu trabalho.
Sugestão de materiais:cartão, tela, papel de carta, papéis em geral (para suporte)
Técnicas:
aquarela, óleo, lápis, nanquim, gesso, tecido (musselina), malha de arame, linoleogravura.
3) O professor poderá trabalhar com a obra de Klee Ad Parnassum (o título indica morada de Apolo e das musas), de Joseph Fux, em que, por meio da
música, o aluno liberará suas emoções e sentimentos e criará desenhos pela elaboração de sons variados.
A) Desenvolvimento da atividade práticaO arte-educador poderá colocar uma música de fundo para criar uma atmosfera mais envolvente. Sugerimos que o professor escolha uma das músicas do disco (fita cassete ou CD) Concerto para uma voz (Saint-Preux).
a) Etapa de sensibilização\par No primeiro momento poderá pedir a seus alunos que anotem suas idéias, emoções e sensações, após observação da obra.
b) Etapa de descriçãoPor meio da observação, o aluno responderá se a obra contém:
( ) linhas
( ) ângulos
( ) transparência
( ) cores
( ) formas
( ) número
( ) manchas
( ) planos
( ) letras
( ) figuras
( ) movimento
( ) texturas
c) Etapa de análise linear e figurativaPassado o processo de descrição:
- análise da obra na sua estrutura linear:
( ) retas
( ) horizontais
( ) intercaladas
( ) contínuas
( ) verticais
( ) interrompidas
( ) inclinadas
( ) curvas
( ) grossas
( ) sobrepostas
- análise da obra quanto à forma:
( ) círrculo
( ) quadrado
( ) retângulo
( ) triângulo
( ) oval
( ) trapézio
d) Etapa de finalizaçãoAproveitando as sensações e o envolvimento dos alunos com a pintura de Klee, o arte-educador poderá propor-lhes a elaboração de uma bandinha, dividindo entre os alunos a tarefa de fazer instrumentos musicais com sucata (Jeandot: 1990). Depois, a classe será dividida em duas turmas: num primeiro momento, uma turma tocará a sua composição musical e a outra fará um desenho ilustrando os sons apresentados. Depois o professor inverterá os papéis dos grupos.
B) Conclusão da atividade prática
Sugestões de atividades:Fazer um desenho utilizando elementos visuais que descobriu na obra analisada durante a atividade.Escrever um pequeno texto ou um poema sobre a obra ou sobre Paul Klee.Fazer uma composição plástica utilizando a colagem de vários materiais como letras, palavras, números etc.
4) O professor pode fazer a interpretação da obra
O peixe dourado
A) Proposta em sala de aula\par Num primeiro momento, o arte-educador poderá pedir a seus alunos que anotem suas idéias, emoções e sensações, após observação da obra O peixe dourado (se houver a possibilidade de mostrar aos alunos uma reprodução maior que a do livro, o resultado do trabalho será melhor).
B) Interpretando a obra O peixe dourado
O aluno já sentiu, descreveu e analisou a obra.
Para se fazer a interpretação, pode-se colocar na lousa algumas perguntas, para que ele escolha apenas uma, respondendo-a por escrito.
C) Conclusão da propostaPassadas as etapas A e B, o aluno já terá condições de interferir na obra. Pela observação de seu mundo, o aluno será o criador de uma nova obra por meio da ressonância de suas emoções e idéias, que fruíram durante as etapas anteriores, elaborando um desenho que utiliza os elementos visuais que descobriu na obra analisada.
5) O professor poderá sugerir a seus alunos que leiam o livro Som, de Brenda Walpole, Melhoramentos.
6) Num trabalho conjunto com a disciplina Arte-Educação, os alunos poderão ouvir a obra Pedro e o lobo, do compositor russo Sergei Prokofiev, cujas personagens são instrumentos, e ilustrar, isto é, fazer um livro desenhando os personagens e o cenário pelas imagens visuais que a música sugeriu.
7) Juntamente com o professor de Arte-Educação, o professor de Ciências poderá fazer a bandinha proposta no exercício 3.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

POESIA...


Como trabalhar com poesia?

• Brincar com as palavras(achar uma palavra dentro da outra)

• Reconhecer palavras que rimam

• Criar rimas

• Fazer acrósticos

• Trabalhar também o desenho (ilustrar um poema)

• Formar palavras substituindo vogais

• Explorar a diferença entre canção e poema

• Trabalhar noções do real e imaginário

• Colocar poema na ordem correta

• Montar acróstico

• Ordenação de versos

• Escrita de texto lacunado

• Criação de poema

O que a poesia nos dá?

• Ajuda a romper modos convencionais de percepção ejulgamento

.• Faz com que vejamos o mundo e as pessoas com novosolhos ou descubramos novos aspectos deles.

• Pode dar-nos uma consciência mais ampla dos nossossentimentos profundos.

• Possibilita o exercício de reconhecer-se no outro --elemento fundamental da arte.

• Discernimento do limite entre realidade e criação.

• Multiplicidade de gêneros poéticos (e textuais) -- poesiaconcreta, soneto, haicai, poema musical etc.

Assim Assado, de Eva Furnari. São Paulo, Moderna, 1991.

Ilustrações da autora.Este livro da Eva Furnari faz parte de uma coleção quetraz como recurso central o jogo de palavras, cujo elementoconstitutivo é a quebra de expectativa.

Como se vê nasquadrinhas abaixo:

Era uma vez...

Um elefante delicado,

Levou uma bronca

Ficou emburrado.

Era uma vez...

Uma velha coroca

Foi pro jardim,

Conversar com minhoca.

O mesmo tipo de recurso aparece em Você troca?,

agora nos tercetos:Você trocaUm mamão bichado

Por um bichão mimado?

Por serem breves,

apoiados em rimas que facilitam amemorização,

os livros de Furnari são indicados para crianças em fase de alfabetização.

EDITORA MODERNAhttp://www.moderna.com.br/moderna/didaticos/ef1/buriti/fazendo/

dicas /artigos/poesia_buriti.pdf

IRREVERSIVELMENTE

Amar é algo irreversível
Pode até se mudar o amor.
Mas depois de que se começa a amar,
não tem mais como parar
Amar é irreversível. I
niciado o processo não há como voltar atras
Nos arrependemos as vezes dos amores,
mas nunca do amor
Porque amar é essência,
amar é fazer a vida pulsar,
é sentir todos os movimentos,
e permitir que o coração pule de alegria
Amar é reconhecer-se no outro,
porque é esse o sentido do amor
Reconhecer em outro corpo a sua própria essência
Por isso que te amo IRREVERSIVELMENTE.
Por isso que esse amor vai durar pra sempre
Obrigado por ter permitido essa atitude.
(José Renato Coan - 05/06/2009)
Poema escrito pelo amigo Jose Renato
um entre tantos....

segunda-feira, 1 de junho de 2009

PRECISO DE ALGUEM

Que me olhe nos olhos quando falo. Que ouça as minhas tristezas e neuroses com paciência. E, ainda que não compreenda, respeite os meus sentimentos. Preciso de alguém, que venha brigar ao meu lado sem precisar ser convocado; alguém Amigo o suficiente para dizer-me as verdades que não quero ouvir, mesmo sabendo que posso odiá-lo por isso. Nesse mundo de céticos, preciso de alguém que creia, nessa coisa misteriosa, desacreditada, quase impossível : - A Amizade. Que teime em ser leal, simples e justo, que não vá embora se algum dia eu perder o meu ouro e não for mais a sensação da festa. Preciso de um Amigo que receba com gratidão o meu auxílio, a minha mão estendida, mesmo que isto seja muito pouco para suas necessidades. Preciso de um Amigo que também seja companheiro, nas farras e pescarias, nas guerras e alegrias, e que no meio da tempestade, grite em coro comigo : " Nós ainda vamos rir muito disso tudo " e ria muito. Não pude escolher aqueles que me trouxeram ao mundo, mas posso escolher meu Amigo.E nessa busca empenho a minha própria alma, pois com uma Amizade Verdadeira, a vida se torna mais simples, mais rica e mais bela . . .
Autor: Charlie Chaplin

Quero Fazer Um Poema!



Quero fazer um poema
que se chegue a ti
e se instale em teu ser



quero mover-te

comover-te

quero que sintas o que sinto


que sonhes os meus sonhos


te iludas em ilusões minhas





quero que nos meus ideais acredites


os meus alvos idealizes


neste instante ser um contigo


quero atingir-te


como a bala atinge o alvo



quero atingir teu coração


instalar-me por lá


e não mais sair de lá



quero fazer um poema


um poema de amor


uma lição de vida


um incentivo de fé


um impulso para ideais

quero fazer um poema


um poema expressivo


um poema emotivo


um poema que te faça rir


que te faça chorar


um poema


um poema que te faça pensar


refletir


sonhar


idealizar


acreditar


duvidar...


quem sabe


mas que mova o teu ser


que não te deixe indiferente


um poema


um poema sério


um pouco sério


um extremamente sério


um poema veridico


uma hipérbolemas nunca um exagero excessivo.





quero fazer um poema


que retrate


daqueles momentos bons


daqueles não muito bons


dos alegresdos sofridos



quero contar-te


de onde veio a força


para tudo vencer


para acreditar


para ter confiançae estar de pé


e por fim



um poema


que fale de Cristo


da sua morte na cruze daquele sangue gotejando


encorrendo


para lavar o homem


lavar o escritor


que sou eu


e o leitor


que é você

Autora: Amina Miranda - 2006