sexta-feira, 24 de junho de 2011

Para meu grande amor


Como é Grande o Meu Amor Por Você

Roberto Carlos

Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos
Eu tenho tanto
Prá lhe falar
Mas com palavras
Não sei dizer
Como é grande
O meu amor
Por você...

E não há nada
Prá comparar
Para poder
Lhe explicar
Como é grande
O meu amor
Por você...

Nem mesmo o céu
Nem as estrelas
Nem mesmo o mar
E o infinito
Não maior
Que o meu amor
Nem mais bonito...

Me desespero
A procurar
Alguma forma
De lhe falar
Como é grande
O meu amor
Por você...

Nunca se esqueça
Nem um segundo
Que eu tenho o amor
Maior do mundo
Como é grande
O meu amor
Por você...(2x)

Mas como é grande
O meu amor
Por você!...

Talvez

Talvez eu venha a envelhecer rápido demais.
Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena.
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida.
Mas farei com que elas percam a importância nos gestos de amor que encontrei.
Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais.
Mas jamais irei me considerar um derrotado.
Talvez em algum instante eu sofra uma terrível queda.
Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão.
Talvez um dia o sol deixe de brilhar.
Mas então irei me banhar na chuva.
Talvez um dia eu sofra alguma injustiça.
Mas jamais irei assumir o papel de vítima.
Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos.
Mas terei humildade para aceitar as mãos que se estenderão na minha direção.
Talvez numa dessas noites frias, eu derrame muitas lágrimas.
Mas não terei vergonha por este gesto.
Talvez eu seja enganado inúmeras vezes.
Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar alguém merece a minha confiança.
Talvez com o tempo eu perceba que cometi grandes erros.
Mas não desistirei de continuar trilhando meu caminho.
Talvez com o decorrer dos anos eu perca grandes amizades.
Mas irei aprender que aqueles que realmente são meus verdadeiros amigos nunca estarão perdidos.
Talvez algumas pessoas queiram o meu mal.
Mas irei continuar plantando a semente da fraternidade por onde passar.
Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música.
Mas então, farei com que a música siga o compasso dos meus passos.
Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-íris.
Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração.
Talvez hoje eu me sinta fraco.
Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.
Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias.
Mas terei a consciência que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados na minha alma.
Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música.
Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo.
Talvez a vontade de abandonar tudo torne-se a minha companheira.
Mas ao invés de fugir, irei atrás do que almejo.
Talvez eu não tenha motivos para grandes comemorações.
Mas não deixarei de me alegrar com as pequenas conquistas.
Talvez eu não seja exatamente quem gostaria de ser.
Mas passarei a admirar quem sou.
Porque no final saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor.
E se ainda não me convenci disso, é porque como diz aquele ditado: "ainda não chegou ao fim".
Porque no final não haverá nenhum "talvez" e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e de que eu fiz o melhor que podia.
Aristóteles Onassis

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Agradeça.


Coisas novas não chegam em sua vida
sem que, antes, você reconheça e
seja agradecido a tudo que você já tem!

(desconheço autor).

domingo, 19 de junho de 2011

A-COR-DAR

Você sabe o que significa a palavra “acordar”?

Vamos fazer uma brincadeira e separar em sílabas da palavra acordar:

A-cor-dar. Viu?

Significa dar a cor, colocar o coração em tudo que faz.

Existem pessoas que acordam às 6h da tarde. É isso mesmo!

Pela manhã caem da cama, são jogadas da cama, mas passam o dia todo dormindo.

E existem alguns, acredite, que passam a vida toda e não conseguem acordar.

Eu tive um amigo que acordou aos 54 anos de idade.

Ele me disse:

- Descobri que estou na profissão errada!

E ele já estava se aposentando…

Imagine o trauma que esse amigo criou para si, para os colegas de trabalho, para a sua família!

Foi infeliz durante toda sua vida profissional porque simplesmente não “acordou”.

Eu, na época, era muito jovem, mas compreendi bem o que ele estava me ensinando naquele momento.

Por mais cinzento que possa estar sendo o dia de hoje, ele tem exatamente a cor que dou a ele.

Sabe por quê?

Por que a vida tem a cor que “a gente pinta”.

O engraçado é que os dias são todos exclusivos.

Cada dia é um novo dia, ninguém o viveu.

Ele está ali, esperando que eu e você façamos com que ele seja o melhor da nossa vida.

Os meus dias são os mais lindos da face da Terra porque eu os faço ser os mais lindos da face da Terra.

Acredite em você!

O universo é o limite!

a você a oportunidade de “a-cor-dar” todos os dias e compartilhar com os outros o que Deus nos dá de melhor: o privilégio de ser e fazer os outros felizes.

TEXTO: MANCHA DE BOLO

O PORQUINHO FEIO


Era uma vez uma mamãe pata que tinha cinco filhotes. Quatro deles eram os patinhos mais lindinhos, fofinhos e amarelinhos que você pode imaginar.
Mas o quinto era cor de rosa, tinha focinho e um rabinho enrolado.
“Ele é muito crescido para a sua idade”, pensava mamãe pata. “Será que ele é um filhote de peru como todos dizem?”
Mamãe pata levou seus filhotes para a aula de natação no lago. Todos os patinhos pularam logo na água, até o cor de rosa, apesar de ele não nadar tão bem como seus irmãos.

“Bem, aquele patinho com certeza não é um peru!”, pensou sua mãe.
No dia seguinte, chegou a hora de grasnar. Mamãe pata soltou um QUAC e cada um de seus filhotes a imitou.
Mas, quando chegou a vez do patinho cor de rosa, no lugar de QUAC, ouviu-se ÓINC!
―Ele não é um pato! –gritaram todos. ―Ele é um porquinho feio, e não pertence ao nosso meio!
E, assim dizendo, enxotaram o porquinho dali.
Cansado, faminto e abandonado, o porquinho feio vagou durante vários dias em busca de um novo lar.
Mas nem o passarinho lhe dava atenção.
―Suma daqui, seu porquinho feio! – gritavam, assim que o viam.
Um dia, o porquinho feio chegou a uma fazenda, e viu alguns porcos.
Aproximando deles falou:
― Eu sei que sou um porquinho feio, mas será que posso ficar aqui, morando com vocês?
― Um porquinho feio?! – eles exclamaram.
―Você é o porco mais lindo que já vimos!
E, daquele dia em diante, ele viveu feliz para sempre.

(Sugald Steer – São Paulo: Brinque-Book,1999)

Interpretação do texto

1 – Quem são os personagens da história?

2 – Qual foi a primeira lição que a mamãe pata ensinou a seus filhotes?

3 – Quando foi que a mamãe pata descobriu que o porquinho não era um pato?Por quê?

4 – O que a mamãe e os patinhos fizeram co o porquinho depois da descoberta? Assinale a resposta correta:

( ) Ensinaram o porquinho a ser como um pato.
( ) Mandaram o porquinho embora.

5 – Quanto tempo o porquinho vagou à procura de um novo lar?

6 – Em que momento da história o porquinho conseguiu ser feliz?

7 – A história conta que nem um passarinho quis lhe dar atenção. Copie da história o que o passarinho disse a ele.

Artigo sobre Leitura e interpretação.

Leitura e interpretação

A interpretação de texto é uma
atividade que ocorre em todos os
níveis escolares e, toda vez que a
proposta é lançada em sala de
aula, é comum ouvirmos murmúrios,
tais como: De novo! Ah!
Não! Eu não gosto de interpretação
de texto!
Mas, o que pouco sabemos é
sobre as origens deste desconforto.
Em primeiro lugar, necessitamos
saber o porquê de os alunos
resistirem tanto a este tipo de trabalho.
Tais resistências podem ter
surgido damaneira como é imposta
a interpretação, ou pelo fato
deles apresentarem pouca concentração
ou, ainda, por não conseguirem
compreender o que leram.
De acordo com os estudos
de Vygotsky, o pensamento não se
expressa apenas em palavras, ele
se torna presente por meio delas,
criando assimalicerces que geram
maior compreensão.
Cagliari nos diz que o segredo
da alfabetização é a leitura. Talvez
mais um motivo desse desconforto:
o pouco incentivo à leitura oferecido
aos alunos, na fase da alfabetização.
Segundo o autor, o leitor
deverá em primeiro lugar decifrar
a escrita, depois entender a
linguagem encontrada, em seguida
decodificar todas as implicações
que o texto tem e, finalmente,
refletir sobre isso e formar o
próprio conhecimento e a opinião
a respeito do que leu.
Para Ferreiro e Teberosky, a
causa principal das dificuldades
de compreensão do conteúdo da
leitura é o domínio imperfeito da
mecânica da leitura.
É comum encontrarmos alunos,
e até mesmo adultos formados,
capazes de lerem reportagens
em jornais e artigos em revistas
e não entenderem nada daquilo
que leram.
O trabalho com a interpretação
não acontece apenas na área da
Língua Portuguesa, mas em todos
os campos de nosso aprendizado
escolar. Muitos pesquisadores
atribuem a dificuldade na Matemática
à interpretação das situações-
problema ou das ordens dos
exercícios. Isto é mais uma prova
de que devemos atribuir uma atenção
especial a este assunto.
Segundo Vygotsky, um estudo
mais profundo do desenvolvimento
da compreensão e da comunicação
na infância levou-nos à conclusão
de que a verdadeira comunicação
requer significado, ou
seja, só compreende o que lê aquele
que consegue entender o significado
das palavras. Assim, concluímos
que primeiro é preciso
compreender aquilo que estamos
lendo para, depois, conseguirmos
interpretar a leitura feita.
É necessário, ainda, incentivar
nossos alunos, por meio de uma
atitude questionadora que favoreça
a leitura como um processo
mental, oferecendo exercícios de
compreensão e discussão sobre o
que foi lido.
De início, o aluno lê o texto,
compreende aquilo que leu e somente
depois consegue fazer a
sua interpretação.

•LUCIANE KNÜPPE
Licenciada em Pedagogia com Habilitação
em Supervisão Escolar.
Especialista em Educação Infantil.
Porto Alegre/RS.

O preço de um cheiro - TEXTO COM INTERPRETAÇÃO

Um camponês foi à cidade vender seus produtos. Ao regressar, parou em uma pousada para descansar.
— O que deseja? — perguntou o dono, solícito.
— Um pouco de pão e vinho, por favor. Enquanto o dono atendia ao seu pedido, o camponês passou a observar o local. Havia no fogo uma carne que exalava um aroma irresistível. Ele ficou com vontade de saborear o assado, mas não tinha tanto dinheiro...
Depois de um momento o dono da pousada voltou para trazer-lhe o pão e o vinho. O camponês bebeu o vinho, mas seus olhos não desgrudavam da carne suculenta. De repente, ele teve uma idéia: colocar o pão no vapor que subia do assado, para umedecê-¬lo. No momento em que ia experimentar o pão, foi interrompido por um grito:
— Você se acha muito esperto, não é? — disse o dono, zangado. — Terá de me pagar por isso também!
— Eu não lhe devo nada além do pão e do vinho — disse o camponês surpreso.
— E o cheiro da carne, não custa? — retrucou o dono, zangado.
— O cheiro da carne? — repetiu o camponês, espantado.
— Mas isso não custa nada!
— Como não custa nada? Tudo o que existe aqui é meu, inclusive o cheiro do assado!
A discussão chamou a tenção de um freguês.
— Quanto você quer pelo cheiro do assado?
— Cinco moedas! — disse o dono, satisfeito.
—Tenha dó! — exclamou o camponês, tirando o dinheiro do bolso. — Isso é tudo que eu ganhei por um dia de trabalho...
O freguês pegou as moedas do camponês e sacudiu-as diante de todos.
— Ouviu isso? Pronto! Já está pago.
— Como assim, já está pago? — admirou-se o dono.
— Por acaso este pobre camponês comeu a carne? Não! Apenas sentiu o cheiro do assado. Para pagar pelo cheiro do assado basta o som moedas!
Diante da risada geral, o dono da pousada ficou sem razão e concordou em não cobrar nada do camponês. E pior: ainda fez papel de bobo!


1) Assinale a frase que apresenta o mesmo sentido de:

“A carne exalava um aroma irresistível.”
( ) A carne liberava um cheiro estranho.
( ) A carne liberava um odor insuportável.
( ) A carne liberava um odor agradável a que não se podia resistir.


2) O dono da pousada perguntou solicito: “O que deseja?” Sabendo que solícito significa prestativo, prestimoso, pronto para servir, assinale o tom de voz que ele usou.

( ) áspero
( ) rude
( ) educado
( ) grosseiro



3) Numere os fatos na ordem em que aconteceram.

( ) O freguês explica que o camponês pode pagar o cheiro com o barulho das moedas.
( ) O dono da pousada cobra pelo cheiro da carne e o camponês se recusa a pagá-lo.
( ) O camponês coloca seu pão no vapor que sobe da carne.
( ) Um freguês ouve a conversa entre os dois homens e sacode as moedas do camponês.
( ) O camponês sente cheiro de carne assada.


4) Responda:

a) É correto pagarmos pelo cheiro de algum alimento? Justifique.


b) E pelo aroma de um perfume, quando devemos pagar?


5) Com base no texto, faça um comentário sobre a atitude tomada pelo freguês que assistia à discussão do dono da pousada com o camponês.


6) Escreva ao lado de cada ação a que personagem se refere.

Defendeu o camponês
Atendeu o camponês
Chacoalhou as moedas
Colocou o pão no vapor
Cobrou pelo cheiro
Bebeu o vinho

7) Passe o 5º parágrafo para o plural.

8) Circule as 5 palavras escritas incorretamente e reescreva-as.
comfiança - omenagem - ombro - hoje - horário - herança - igiene - sonbrio - fugil - honra

9) Retire do 3º parágrafo três palavras com:

a) hiato:
b) ditongo:

10) Separe as sílabas das palavras abaixo e circule a tônica.

regressar: _________________________________________
interrompido: _______________________________________
desgrudavam: ______________________________________
refeição: __________________________________________
conheceu: _____________________

TEXTOS E ATIVIDADES

A MENINA QUE FEZ A AMÈRICA

Eu vou morrer um dia, porque tudo que nasce também morre: bicho, planta, mulher, homem. Mas histórias podem durar depois de nós. Basta que sejam postas em folhas de papel e que suas letras mortas sejam ressuscitadas por olhos que saibam ler. Por isso, aqui está para vocês o papel da minha história: uma vida-menina para as meninas-dos-seus-olhos.
Vou contar…
Eu nasci no ano de 1890, numa pequena aldeia da Calábria, ao sul da Itália. E onde fica a Itália?… É só olhar um mapa da Europa e procurar uma terra em forma de bota, que dá um pontapé no Mar Mediterrâneo e um chute de calcanhar no Mar Adriático.
É lá.
Lá, nessa terra entre mares, foi que eu nasci num dia de inverno, quando as flores silvestres que perfumavam o ar puro dos campos da minha aldeia estavam à espera do florescer da primavera. Saracema: este era o nome do lugar pequenino onde eu nasci. Eu disse “era”, embora o lugar ainda existia e tenha crescido, como eu também cresci. Mas, como nunca mais voltei para lá, acho que não pode se mais o mesmo que conheci e onde vivi até os dez anos de idade. A Saracena de 1890 era aquela sem a comunicação do telefone, os sons do rádio e as imagens da televisão nas casas; sem o eco dos carros e das motocicletas nas estradas ou o ronco dos aviões sobre telhados. A música que andava no ar, nos tempos da minha infância, vinha do canto dos pássaros, do chiar das rodas das carroças, das batidas dos cascos dos cavalos, do burburinho do risco das crianças e do lamento dos sinais das igrejas. Essa era a voz da terra onde começava a minha vida e terminava o meu mundo.
Nunca cheguei a conhecer meu pai, Domenico Gallo. Só em retrato: um homem alto, bonito, de finos bigodes. Dizem que ele ficou muito feliz quando eu e meu irmãozinho Caetano nascemos. Ah, esqueci de dizer que meu nome é Fortunata e que, quando menina, me chamavam de Fortunatella.

(Laurito, Ilka Brunhilde. A menina que fez a América. São Paulo, FTD)


1) Quando e onde a menina nasceu?

2) Até que idade ele viveu em Saracena?

3) Como a menina se chamava? Como a menina era chamada quando pequena?

4) Quem era Caetano e Domenico?

5) De que modo Fortunata conhecia seu pai?

6) Você acha que a menina teve uma infância feliz? Por quê

PROBLEMAS DE MATEMÁTICA.

1- Rafa tem 1,25 metros de altura e Carol 1,43 metros. A diferença entre as alturas é de:

(A) 0,28 m
(B) 0,18 m
(C) 0,15 m
(D) 0,12 m

2- Compare os números:
20,03 21,05 21,12 20,15

Escrevendo-os na ordem crescente, temos:
(A) 20,03 21,05 21,12 20,15
(B) 20,03 20,15 21,05 21,12
(C) 21,05 20,03 21,12 20,15
(D) 21,12 21,05 20,15 20,03

3- Com uma nota de R$ 5,00 comprei um saquinho de pipoca e quatro balas, gastando R$ 2,25.
Recebi de troco:
(A) R$ 2,15
(B) R$ 2,25
(C) R$ 2,50
(D) R$ 2,75

4- Em um concurso o melhor goleiro foi eleito com 34 de um total de 85 votos. A fração que representa esta votação é:
(A)119/34
(B)119/85
(C)85/34
(D)34/85

5- Rebeca gastou quatro reais e cinco centavos em uma loja. Esse valor é representado por:
(A) R$ 4,50
(B) R$ 4,05
(C) R$ 4,005
(D) R$ 405,00

6- A professora de 4ª série, corrigindo as avaliações da classe, viu que Pedro
acertou2/10 das questões. De que outra forma a professora poderia representar
essa fração?
(A) 0,02
(B) 0,10
(C) 0,2
(D) 2,10

7- Fernando tem, no seu cofrinho, cinco moedas de R$ 0,05, oito moedas de R$ 0,10 e três moedas de R$ 0,25. Que quantia Fernando tem no cofrinho?
(A) R$ 1,55
(B) R$ 1,80
(C) R$ 2,05
(D) R$ 4,05

8 - A altura de Karen é 1,45 metros e a de seu irmão é 1,27 metros. Quantos centímetros Karen tem
a mais que seu irmão?
(A) 28 cm
(B) 18 cm
(C) 15 cm
(D) 12 cm

9 - Paulo comprou 4 dúzias de lápis de cor para distribuir igualmente entre as 8 crianças de uma creche. Cada criança ganhará:
(A) 4 lápis.
(B) 6 lápis.
(C) 12 lápis.
D) 48 lápis

10 - Efetuando a operação 2 782 ÷ 13 encontramos como quociente:
(A) 204
(B) 214
(C) 224
(D) 234

11 - Beto saiu de sua casa na cidade de São Paulo para ver os rodeios em Barretos. Depois de percorrer 374,8 quilômetros, ele parou num posto de gasolina e soube que ainda faltavam 63 quilômetros para chegar a seu destino. A distância percorrida de sua casa a Barretos é igual a:
(A) 1 004,8 km
(B) 437,8 km.
(C) 381,1 km.
(D) 311,8 km.

12 - Júlia tinha 5,5 m de tecido. Ela fez uma saia e uma blusa. Para a saia foram necessários 2,45 m de tecido e 1,8 m para a blusa. Quantos metros de tecido restaram?
(A) 0,65 m
(B) 1,25 m
(C) 3,05 m
(D) 4,25 m

13 - Todo o ano, desde 1924, no dia 31 de dezembro acontece a tradicional Corrida de São Silvestre. Seu percurso total é de 15 quilômetros. Um atleta que completar o percurso terá corrido:
(A) 150 m.
(B) 1 500 m.
(C) 15 000 m.
(D) 150 000 m.

14 - Frederico me emprestou R$1.450,00 e eu já devolvi R$875,00. Quantos reais ainda estou lhe devendo?
(A) 580
(B) 575
(C) 560
(D) 555

15 - Um computador custa R$2.750,00. não posso compra-lo pois faltam R$1.050,00. Quantos reais eu tenho?1.700
(A) 1.700
(B) 1.680
(C) 1.560
(D) 1.650

16 - Para pagar um televisor, dei R$ 250,00 de entrada, e o restante vou pagar em 4 prestações de R$102,00. Qual é o valor do televisor?
(A) R$ 758,00
(B) R$ 750,00
(C) R$ 658,00
(D) R$ 650,00

17 - No supermercado, dei R$500,00 para pagar as compras. Recebi de troco R$98,00. Quanto gastei com as compras?
(A) R$ 302,00
(B) R$ 386,00
(C) R$ 402,00
(D) R$ 400,00

Fábula: A leoa


Os animais dos campos e das florestas discutiam: qual deles seria capaz de ter maior número de filhos.
Nesse momento, passou a leoa. Os animais fizeram-na parar e lhe disseram:
- Estamos tentando saber qual de nós tem maior ninhada. Quantos são os seus filhos em cada ninhada?
- Um só - respondeu a leoa.
- Mas, lembrem-se: é um leão!
Valor vale mais que número.

Fonte: http://www.contandohistoria.com/a_leoa.htm

FÁBULA: A POMBA E A FORMIGA

Fábula: A pomba e a formiga

Uma formiga sedenta veio à margem do rio para beber água.

Para alcançá-la, devia descer por uma folha de grama.Quando assim fazia, escorregou e caiu dentro da correnteza.

Uma pomba, pousada numa árvore próxima, viu a formiga em perigo.










Rapidamente, arrancou uma folha da árvore e deixou-a cair no rio, perto da formiga, que pode subir nela e flutuar até a margem.


Logo que alcançou a terra, a formiga viu um caçador de pássaros, que se escondia atrás duma árvore, com uma rede nas mãos.


Vendo que a pomba corria perigo, correu até o caçador e mordeu-lhe o calcanhar. A dor fez o caçador largar a rede e a pomba fugiu para um ramo mais alto.

De lá, ela arrulhou para a formiga:
- Obrigada, querida amiga.
"Uma boa ação se paga com outra."
Fábula de Esopo

O GATO DE BOTAS

ra uma vez...

um moleiro que tinha três filhos. Um dia, chamou-os para lhes dizer que ia repartir por eles todos os seus bens.

Ao mais velho deu o moinho, ao do meio deu o burro e ao mais novo deu o gato.
O filho mais novo ficou muito triste porque o pai não tinha sido justo para com ele.

Mas, surpresa das surpresas, o gato começou a falar!
- Dá-me um saco e um par de botas.

O rapaz ficou muito espantado e obedecendo ao pedido do gato no dia seguinte, lá foi comprar um saco e umas botas.
- Aqui estão meu amigo! disse ele.

O gato calçou as botas, pegou no saco e lá foi floresta fora. Como era muito esperto, não demorou muito a apanhar uma lebre bem gordinha, que a pôs dentro do saco.

Com o pesado saco às costas, o gato dirigiu-se ao castelo do rei e ofereceu-lhe a lebre, dizendo:

- Magestade, venho da parte do meu amo o marquês de Carabás, trago-lhe esta linda lebre de presente.

O rei ficou muito impressionado e contente com aquela atitude e disse:
- Diz ao teu amo que lhe agradeço muito!

Daí em diante o gato repetiu aquele gesto várias vezes, levando vários presentes ao rei e dizendo sempre que era uma oferta do seu amo.

Um dia, diz o gato a seu amo:
- Senhor, tomai banho neste rio que eu trato de tudo.

O gato esperou que a carruagem do rei passasse junto ao rio onde o seu amo tomava banho e pôs-se a gritar:
- Socorro! Socorro! O meu amo, o marquês de Carabás, está a afogar-se! Ajudem-no!

O rei mandou logo parar a carruagem e ajudou o marquês, dando-lhe belas roupas e convidando-o a passear com ele e com a filha, a princesa, na carruagem real.
O gato desata então a correr à frente da carruagem. Pela estrada fora, sempre que via alguém a trabalhar nos campos, pedia-lhes que dissessem que trabalhavam para o marquês de Carabás.

O rei estava cada vez mais impressionado!

O gato chega por fim ao castelo do gigante, onde todas as coisas eram grandes e magníficas.

O gato pede para ser recebido pelo gigante e pergunta-lhe:
- É verdade que consegues transformar-te num animal qualquer?
- É! disse o gigante.

Então o gato pede-lhe que se transforme num rato. E assim foi.

O gato que estava atento, deu um salto, agarrou o rato e comeu-o.

O rei, a princesa e o marquês de Carabás chegam ao castelo do gigante, onde são recebidos pelo gato:
- Sejam bem vindos à propriedade do meu amo! diz o gato.

O rei nem queria acreditar no que os seus olhos viam:
- Tanta riqueza! Tem que casar com a minha filha, senhor marquês - diz o rei.

E foi assim que, graças ao seu gato, o filho de um moleiro casou com a princesa mais bela do reino.
FIM

Autor Charles Perrault
Conto adaptado por Nicole Viroux-Lenaerts

Fonte: aeiou webbsite

Expressando através de desenho

Produção de texto - Histórias em quadrinhos

Uma atividade interessante de produção de texto é a retextualização. Nossa sugestão é que os alunos transformem a fábula a seguir em uma história em quadrinhos. Os textos produzidos poderão ser apresentados em um varal, em um mural ou em uma revista
( coletânea dos textos produzidos). No caso da revista, o professor poderá planejar com seus alunos como será a capa, o editorial, etc.


A reunião geral dos ratos
La Fontaine

Uma vez os ratos, que viviam com medo de um gato, resolveram fazer uma reunião para encontrar um jeito de acabar com aquele transtorno. Muitos planos foram discutidos e abandonados. No fim, um rato jovem levantou-se e deu a idéia de pendurar uma sineta no pescoço do gato; assim, sempre que o gato chegasse perto eles ouviriam a sineta e poderiam fugir correndo. Todo mundo bateu palmas: o problema estava resolvido. Vendo aquilo, um rato velho que tinha ficado o tempo todo calado levantou-se de seu canto. O rato falou que o plano era muito inteligente, que com toda certeza as preocupações deles tinham chegado ao fim. Só faltava uma coisa: quem iria pendurar a sineta no pescoço do gato?
Moral: Inventar é uma coisa, fazer é outra
.

Atividade de leitura -

Complete as lacunas de forma que o texto ganhe sentido

Os galos brigões


Dois galos estavam disputando em feroz luta, ____ direito de comandar o galinheiro de___ chácara. Por fim, um põe o ____ para correr ___ é o vencedor.

O Galo ______ afastou-se e foi se ____ num canto sossegado do galinheiro.

O vencedor, voando ____ o alto de um muro, bateu as ____ e exultante cantou com toda sua força.

Uma Águia que pairava ___ perto, lançou-se sobre ____ e com um golpe certeiro levou-o ____ em suas poderosas garras.

O Galo derrotado ____ do seu canto, e daí em ____reinou absoluto, livre de _______.
Autor: Esopo

Moral da História:
O orgulho e a arrogância é o caminho mais curto para a ruína e o infortúnio.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/06/noticias/tv_gazeta/jornalismo/estv/estv_1_edicao/880497-michel-temer-passa-noite-em

CORAGEM......

MEUS AMIGOS!


CORAGEM:

Coragem é dar um passo em direção
a dificuldade sem uma solução em
mente, mas sentindo que a vitória
está adiante. É dizer o que você
acredita, sem desejar aprovação,
sabendo que um pensamento
profundamente ligado a um ideal,
forte o suficiente para resistir
a qualquer oposição.
Coragem é poder.

As quatro coisas...

As quatro coisas...

que não voltam atrás:
A pedra atirada,
a palavra dita,
a ocasião perdida
e o tempo passado."


(autor desconhecido).

segunda-feira, 13 de junho de 2011


HOMENAGEM AO POETA***
O poeta tem o fio da idéia, mente pensante
mãos que escrevem no enredo que traça
condutas e reações, dramas e comédias
vidas e amores, dores e fulgores
O poeta tem inspiração, olhar furtivo
palavras sussurradas, um amor, um desamor
um é frio, outro é calor
às vezes rica rima, outras sem metrificar
Tem sempre o toque mágico
É poema... É poeta
a rosa chora, o vento geme
a chuva escorre na janela
A flor que brota, a palavra brota
o sorriso brota,
na mão do poeta tudo brota!
Risos e alegrias, e viva a criação
Ele faz luz, apaga as trevas
Planta o infinito
canta o amor
vibra as cordas da viola
canta o amor e canta a trova
e a dor que não consola
sempre tem os seus amores
chora a agonia a separação
o inevitável o condenável
chora o amor que foi perdido
o afeto inalcançável
sofre pelo ter e o não ter
sofre o esquecer e o perder
e certamente com tudo e por tudo isto
aprendeu a viver, amar e sofrer
Porque cria e desafia
até a dor de todo dia
sem forma ou fórmula
sem momento, é apenas um instrumento
"do amor...., sublime amor"
!!! E VIVA O POETA !!!
HOJE HOMENAGEIO AO POETA FERNANDO PESSOA

PROBLEMA MAL RESOLVIDO rsrsrsrsrsr

MEU ETERNO NAMORADO - TE AMOOOOOOOO

AMO DEMAIS O MEU LINDO MARIDO....RAZÃO DOS MEUS TIC TAC ...O HOMEM O QUAL DURMO E SONHO TODOS OS DIAS...ACORDAR NUM LINDO AMANHECER...AO POR DO SOL...O HOMEM O QUAL DEDIDCO TODA A MINHA VIDA...TODAS AS MUSICAS LINDAS E APAIXONADAS ...O HOMEM QUE CADA DIA ME FAZ FICAR MAIS BONITA...MAIS FELIZ...E QUE EU AMO CADA DIA MAISComo é grande ó meu amor por você...... quando estou com você me sinto segura! você me completa, você é a melhor coisa que aconteceu na minha vida quero sempre compartilhar meus segredos, medos e desejos com você. Mô com você encontrei a felicidade do seu amor!!!!
Bjsssssss

Sobre vivenciar um "eu te amo". .

Sobre vivenciar um "eu te amo". . .



Como hoje é dia dos namorados, decidi escrever acerca de um tema, por vezes, muito banalizado: o amor.
Tenho a nítida impressão de que, a cada dia, mais e mais pessoas falam “eu te amo” o tempo todo e para qualquer um sem, no entanto, realmente vivenciarem essas palavras.
É possível, ao olhar ao redor, perceber casais de namorados que não se respeitam, mas que permanecem juntos por conta do suposto “amor” que os une. É possível perceber casais que, há tempos, não tem o menor interesse um pelo outro, mas que se mantém fisicamente lado a lado porque, vez ou outra, um deles diz as “três palavrinhas mágicas”.
Tais coisas fazem com que eu fique me questionando: Será que um simples “eu te amo” é suficiente para que duas pessoas possam permanecer juntas e felizes? Será que, para sentir-se amado, basta apenas que o outro proclame essas “três palavrinhas mágicas”?
Não para mim!
Eu acredito que amar requer muito mais do que caras e bocas, olhares oblíquos e piscadelas sensuais... Requer muito mais do que beijos apaixonados, sexo acrobático e declarações de amor eterno...
E, por falar em declarações, em minha opinião, palavras são apenas palavras que, sozinhas, não significam coisa alguma.
Eu acredito que amar alguém requer demonstração de sentimento. E quando falo em demonstração, não me refiro a grandes arroubos apaixonados, tampouco a presentes caríssimos. Quando falo em demonstração de amor, me refiro às pequenas ATITUDES do dia-a-dia.
Você demonstra seu amor, por exemplo, quando, apesar do frio, levanta da cama no meio da madrugada para aquecer a bolsa de água quente do companheiro que está com os pés gelados.
Você demonstra seu amor quando decide acordar 10 minutinhos mais cedo para levar café na cama para o outro – mesmo que o tal “café na cama” seja apenas uma xícara de café com leite e um pãozinho amanhecido – apenas pelo prazer de vê-lo sorrir preguiçosamente.
Você demonstra seu amor quando, ao perdoar alguma falta, não fica remoendo a mágoa e guardando-a para ser jogada na cara do outro na primeira oportunidade.
Você demonstra seu amor quando aceita o outro como ele é, com suas qualidades e defeitos. E, mais que isso, quando você procura enaltecer as qualidades e “esquecer” os defeitos.
Você demonstra seu amor quando, ao perguntar ao outro como foi seu dia, ouve-o atentamente e compartilha de suas pequenas alegrias e frustrações.
Você demonstra seu amor quando respeita o outro, quando respeita seus momentos de solidão e de introspecção sem ficar constantemente perguntado o que está acontecendo e se há algum problema.
Você demonstra seu amor quando, ao discordar do outro, não o faz erguendo a voz e impondo sua opinião, mas apresentando suavemente seus argumentos e objeções.
Você demonstra seu amor quando consegue realmente colocar-se no lugar do outro antes de agir, de emitir algum julgamento, algum comentário sarcástico, ou, até mesmo, antes de soltar alguma frase do tipo: “Viu? Eu avisei...”.
Você demonstra seu amor quando suas atitudes realmente expressam um genuíno interesse e preocupação pelos sentimentos e pensamentos do outro, pelos seus problemas, pelas suas angústias, pelos seus medos, pelas suas conquistas, pelas suas alegrias, pelos seus sonhos.
Enfim, para mim, amar alguém requer esforço, dedicação, tempo, investimento psíquico e emocional e, acima de tudo, requer ATITUDE.

NÃO PODIA DEIXAE DE DIVULGAR ESSE BLOG QUE AMO LINDOOOOOOOOOOOO CONHEÇA-O BASTA CLICAR NO LINK ABAIXO FONTE: http://andreiaborba.blogspot.com/2011/06/sobre-vivenciar-um-eu-te-amo.html