sexta-feira, 4 de março de 2016

OFICINA DE POEMAS

Objetivos:
Aprender a escutar; ler; compreender; interpretar; declamar e produzir; revisar; editar e socializar poemas. 
Reconhecer e fazer uso do gênero bem como de recursos característicos do poema como verso, estrofe, rima,  linguagem poética, sonoridade e linguagem figurada; diferenciar eu-lírico de narrador; reconhecer os poemas em suas mais varias formas; perceber a relação com outros textos lidos; diferenciar poema de prosa


Conteúdo
Recursos da linguagem poética, quanto à sonoridade: rima e ritmo, e quanto ao significado das palavras: linguagem figurada, conotação e denotação,  metáfora;
Estrofes e Versificação;
Pontuação, como marca expressiva;
Intertextualidade;
Escolha do vocabulário

1ª AULA 04/03/2016

Atividade Diagnóstica

Qual a diferença entre poesia e poema?

Ouvir as possibilidades de respostas e posteriormente conferir com as definições corretas - através de um cartaz previamente elaborado, no datashow,  ou  em não havendo alternativa, no quadro mesmo; caso fique somente na oralidade o aluno pode esquecer.


. Poesia – É a linguagem que comove, encanta e desperta sentimentos, confere ao texto (seja ele em versos ou prosa) harmonia e beleza. É a arte de criar com palavras, está presente no poema
Qual é a Qual é a diferença entre poema e poesia?
Poema – Obra literária apresentada em versos, caracterizada pela criatividade e emprego de figuras de linguagem.  É a obra que se faz com a poesia e na qual há a presença do eu-lírico.

ATIVIDADES 

1) Leia o poema abaixo e faça também um poema no qual você defina em metáforas o que é a vida.

VIVA A VIDA

A vida é uma oportunidade, aproveite-a...
A vida é beleza, admire-a...
A vida é felicidade, deguste-a...
A vida é um sonho, torne-o realidade...
A vida é desafio, enfrente-o...
A vida é um dever, cumpra-o...
A vida é um jogo, jogue-o...
A vida é preciosa, cuide dela...
A vida é uma riqueza, conserve-a...
A vida é amor, goze-o...
A vida é mistério, descubra-o...
A vida é tristeza, supere-a...
A vida é um hino, cante-o...
A vida é uma luta, aceite-a...
A vida é aventura, arrisque-a...
A vida é alegria, mereça-a...
A vida é vida, defenda-a...

(Madre Tereza de Calcutá)



VIVA A VIDA

A vida é uma brincadeira, brinque-a...
A vida é um perfume, use-o...
A vida é doce, experimente...
A vida é um caminho, percorra -a...
A vida é uma batalha, vence-a...
A vida é uma escola, estude-a...
A vida é um aprendizado, busque-o...
A vida é risco, arrisque -se...
A vida é uma joia, conserve-a...
A vida é alegria, alegre-se.
A vida é uma descoberta, conheça-o...
A vida é um tesouro, ache-o...
A vida é uma música, dance-o...
A vida é uma luta, aceite-a...
A vida é receita, experimente-a...
A vida é interessante, interesse- ss...
A vida é vida, defenda-a...
(TEXTO COLETIVO 7ºM1)

Viva a vida

A vida é um  presente ; receba-a...
A vida é uma brincadeira; brinque -a...
A vida é comida; coma -a...
A vida é um estudo; estude -a...
A vida é um perfume; sente -o...
A vida é uma obra de arte; admire -a...
A vida é uma música; ouça -a...
A vida é uma corrida; corra...
A vida é uma dança; dance - a...
A vida é caminho, siga -o...
A vida é uma luta,  vença- a...
A vida é uma estrela, conquiste -a...
A vida é um troféu, ganhe -o...
A vida é uma novela, assiste-a...
A vida é um remédio, tome-o...
A vida é perplexa, admire-a...
A vida é vida, defenda-a...
(POEMA COLETIVO – 7º M2)

quinta-feira, 3 de março de 2016

Roda de Leitura - 7º anos - EEEFM " São Luis"

A leitura é um instrumento valioso para a apropriação de conhecimentos relativos ao mundo exterior. Ela amplia e aprimora o vocabulário e contribui para o desenvolvimento de um pensamento crítico e reflexivo, pois possibilita o contato com diferentes idéias e experiências. Assim, é obrigação da escola desenvolver o gosto e o prazer pela leitura, tornando os estudantes capazes de compreender diferentes gêneros textuais que circulam na sociedade, de modo a formar leitores competentes e autônomos, contribuindo para a sua inclusão e interação na sociedade.


Segundo o filósofo francês Voltaire3 , “perigoso não é o homem que lê, é o que relê”. Isso ocorre porque ler é conhecer e, na releitura, há uma maior compreensão do texto, conseqüentemente, do mundo a que ele se refere e do qual o leitor participa, possibilitando uma consciência mais crítica e uma atitude mais ativa




Ainda hoje em um século
 tecnológico, percebemos que a oralidade continua sendo o maior meio de comunicação e por isso estamos resgatando alguns valores de nossos antepassados, com brincadeiras de roda e ler uns para os outros, um lugar gostoso. Embaixo das arvores!




Assim como a natureza, não existe história velha ou antiga, pois tudo se transforma à medida que trabalhamos e moldamos os textos. Para isso, precisamos vivenciar a história através de vários tipos de leitura e construção gramatical. Temos que entender o enredo e o que o autor gostaria de passar através daquelas poucas linhas e frases. Imagine os fatos e construa mentalmente as ações dos personagens. Esqueça por um momento a pontuação feita no texto original e busque em cada palavra o sentimento e a euforia, pois desta maneira trabalharemos o texto e enriqueceremos o valor fonético.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Dinâmica "Peixinhos no Aquário"



Grupo
Esta dinâmica pode ser utilizada com alunos de várias faixas etárias em diversas disciplinas. Ou até mesmo em reuniões de pais.

Objetivos
Desenvolver o raciocínio lógico, o sentido reflexivo e crítico, de tal maneira que possam tornar-se cidadãos conscientes de seus deveres e direitos. Comparar diferenças e igualdades.

Material
Papel pardo, durex, música Peixe vivo, papel sulfite, lápis preto e de cores, borracha, giz de cera, tesourinha etc...

Local e duração
Sala de aula ou uma sala grande. Cerca de 40 minutos

Desenvolvimento:
Faça o desenho de um aquário do tamanho de um papel pardo e fixe-o na lousa. Coloque a música Peixe vivo para eles ouvirem e peça que cantem juntos... Entregue aos pais um pedaço de papel sulfite (1/4) e peça-lhes que desenhem um peixinho, como desejarem... (tenha a disposição lápis preto e de cores, borracha, giz de cera, tesourinha etc...) e depois recortem.
Peça que, assim que terminem, vão à lousa e fixem seu peixinho no aquário.
Após todos fixados, peçam para que eles observem o que realizaram e manifestem o que entenderam sobre a atividade... deixe-os à vontade para falar. Se necessário , vá conduzindo a conversa para o lado da moral, da ética, do respeito às diferenças individuais. Pergunte:

“Todos os peixinhos estão iguais?" (não)

"Por que são diferentes?"
(porque todos somos diferentes, temos gostos diferentes, habilidades diferentes, conhecimentos diferentes).

"Todos os peixinhos estão indo para mesmo lado?"  (não)

"Porque?" (porque temos objetivos, metas e sonhos diferentes, caminhamos por caminhos diferentes, viemos de famílias diferentes, etc..) - Mas apesar de todas estas diferenças todos são iguais nas suas necessidades de sobrevivência.

"Como a gente pode transferir estas idéias para a vida escolar?"
(aquário = escola; Peixinhos = alunos, professores, funcionários e pais)

"Como convivermos juntos, sabendo lidar com estas diferenças, em casa e na escola?”
E assim em diante , de acordo com o retorno dos alunos...

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

NÃO DESISTA NUNCA

Se você não acreditar naquilo que você é capaz de fazer; quem vai acreditar?
Dizer que existe uma idade certa, tempo certo, local certo, não existe.
Somente quando você estiver convicto daquilo que deseja e esta convicção fizer parte integrante do processo.
Mas quando ocorre este momento? Imagine uma ponte sobre um rio.
Você está em uma margem e seu objetivo está na outra.
Você pensa, raciocina, acredita que a sua realização está lá.
Você atravessa a ponte, abraça o objetivo e não olha para traz.
Estoura a sua ponte.
Pode ser que tenha até dificuldades, mas se você realmente acredita que pode realizá-lo, não perca tempo: vá e faça.
Agora, se você simplesmente não quer ficar nesta margem e não tem um objetivo definido, no momento do estouro, você estará exatamente no meio da ponte.
Já viu alguém no meio de uma ponte na hora da explosão... eu também não.
Realmente não é simples.
Quando você visualizar o seu objetivo e criar a coragem suficiente em realizá-lo, tenha em mente que para a sua concretização, alguns detalhes deverão estar bem claros na cabeça ou seja, facilidades e dificuldades aparecerão, mas se realmente acredita que pode fazer, os incômodos desaparecerão.
É só não se desesperar.
Seja no mínimo um pouco paciente.
Pois é, as diferenças básicas entre os três momentos são:
ESTOURAR A PONTE ANTES DE ATRAVESSÁ-LA Você começou a sonhar... sonhar... sonhar! De repente, sentiu-se estimulado a querer ou gozar de algo melhor.
Entretanto, dentro de sua avaliação, começa a perceber que fatores que fogem ao seu controle, não permitem que suas habilidades e competências o realize.
Pergunto, vale a pena insistir?
Para ficar mais tangível, imaginemos que uma pessoa sonhe viver ou visitar a lua, mas as perspectivas do agora não o permitem, adianta ficar sonhando ou traçando este objetivo?
Para que você não fique no mundo da lua, meio maluquinho, estoure a sua ponte antes de atravessá-la, rompa com este objetivo e parta para outros sonhos!
ESTOURAR A PONTE NO MOMENTO DE ATRAVESSÁ-LA
Acredito que tenha ficado claro, mas cabe o reforço.
O fato de você desejar não ficar numa situação desagradável é válido, entretanto você não saber o que é mais agradável, já não o é! Ou seja, a falta de perspectiva nem explorada em pensamento, não leva a lugar algum. Você tem a obrigação consciencional de criar alternativas melhores.
Nos dias de hoje, não podemos nos dar ao luxo de sair sem destino.
O nosso futuro não é responsabilidade de outrem, nós é que construímos o nosso futuro. Sem desculpas, pode começar...
ESTOURAR A PONTE DEPOIS DE ATRAVESSÁ-LA.
No início comentei sobre as pessoas que realizaram o sucesso e outras que não tiveram a mesma sorte.
Em primeiro lugar, acredito que temos de definir o que é sucesso.
Sou pelas coisas simples, sucesso é gostar do que faz e fazer o que gosta.
Tentamos nos moldar em uma cultura de determinados valores, onde o sucesso é medido pela posse de coisas, mas é muito mesquinho você ter e não desfrutar daquilo que realmente deseja.
As pessoas que realizaram a oportunidade de estourar as suas pontes de modo adequado e consistente, não só imaginaram, atravessaram e encontraram os objetivos do outro lado.
Os objetivos a serem perseguidos, foram construídos dentro de uma visão clara do que se queria alcançar, em tempo suficiente, de modo adequado, através de fatores pessoais ou impessoais, facilitadores ou não, enfim o grau de comprometimento utilizado para a sua concretização.
A visão sem ação, não passa de um sonho.
A ação sem visão é só um passatempo.
A visão com ação pode mudar o mundo.                          Martha Medeiros

ESCOLHAS DE UMA VIDA

A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz: "Nós somos a soma das nossas decisões".

Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu. Compartilho do ceticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção,estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar "minha vida". 

Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de atriz, será quase impossível conciliar com a arquitetura. No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.

As duas opções têm seus prós e contras: viver sem laços e viver com laços...

Escolha: beber até cair ou virar vegetariano e budista? Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.

Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado. Por isso é tão importante o auto conhecimento. Por isso é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos. Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre.

Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto.Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações.

Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado. A escolha é sua...!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

No Que Realmente Consiste A Sua Essência?

O que é Essência:
Essência é o substantivo feminino com origem no latim essentia e que indica a natureza, substância ou característica essencial de uma pessoa ou coisa. Também pode se referir a um aroma ou perfume.  A essência representa as manifestações fundamentais ou a substância do ser, sendo que a essência pode ser algo em comum ou que distingue alguns elementos dos outros.
No âmbito da filosofia e da metafísica, a essência de alguém são os elementos característicos do ser, como a racionalidade, por exemplo, que faz parte da essência do ser humano. Neste caso, a essência é uma representação do que é comum, universal e que se encontra no âmago de alguém ou de alguma coisa.
Em alguns contextos, a palavra essência representa a ideia principal de  alguma obra ou tema. Ex: O amor de Deus é a essência da Bíblia. Uma  essência é também pode ser um líquido volátil, ou uma substância oleosa e aromática que é extraída de algumas plantas. Em alguns casos, essência também é sinônimo de perfume.                                               No contexto da química, uma essência é uma solução (que frequentemente contém álcool) de óleos essenciais ou outras substâncias vegetais. As essências são usadas na indústria farmacêutica, mas também são incorporadas em alimentos e perfumes, para conferir determinados sabores ou cheiros.                                                                  Algumas das essências mais famosas são: essência de baunilha, essência de terebintina, de laranja, de rosas, de eucalipto, de citronela, etc.
E Nós, humanos? Qual a nossa essência? Hoje me deparo com essa pergunta após observar comportamentos de pessoas que me cercam no dia –a- dia. Tem sido cada vez mais comum pessoas, procurarem a glória quem vem de outras pessoas, enfim, das coisas que estão ao nosso redor, e o que não nos falta é incentivo através da mídia, por exemplo o programa Big Brother Brasil um programa de incentivo as pessoas a buscarem uma forma de viver que nem sempre condiz com a sua realidade. Sites de relacionamentos em que as pessoas buscam relacionamentos com pessoas e  essências diferentes das que convivem.                                                                                                                                  Na bíblia encontramos uma boa reflexão acerca da essência de cada um, em que consiste nossa essência, ou em que esta /onde esta o nosso coração?                                                 Lembra-se quando o Senhor Jesus estava no deserto? O diabo disse-lhe que Se Ele se prostrasse e o adorasse, lhe daria a glória do mundo. O brilho deste mundo é bem envolvente, então o Senhor Jesus, obviamente, disse que não. mas que apenas honraria o Pai. Jamais aceitando a glória que o diabo lhe estava oferecendo. E o que o diabo tem oferecido? A insegurança que mostra em relação às pessoas. Quando não é requisitada, popular, ou quando se sente rejeitada, na realidade, procura a sua própria glória. Cuidado! Veja o que a Bíblia nos ensina quanto a isso: “Se eu me glorifico a mim mesmo, a minha glória nada é; quem me glorifica é meu Pai…” A honra que deve buscar não é a honra de ninguém, mas unicamente a que vem de Deus, pois é permanente e lhe concede paz de espirito. Temos a oportunidade de conhecer a Deus todos os dias, procurando a honra que vem d’Ele, e honrando-O. Quando passo a servi-Lo é porque enxerguei a Sua “realeza”; o Deus que Ele é. Mas quando não O enxergo, não procuro servi-Lo, mas ser servida por mim mesma, essa é a grande diferença. “És maior do que Abraão, o nosso pai, que morreu? Também os profetas morreram. Quem, pois, te fazes ser?” Esta é a pergunta para a qual chamo a sua atenção: Quem é que a faz ser abençoada,  ter sucesso, ser bem requisitada? Quem a faz ser amada? Quem lhe permite ser nobre? No que realmente consiste a sua essência e por consequência a sua felicidade? Nas muitas bajulações? Pense bem, jamais perca este tesouro em ser um com Ele, busque a Presença de Deus e as demais coisas vos serão acrescentadas ao seu tempo.


http://www.recantodasletras.com.br/cronicas/5540852

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Das mãos do eterno Carlos Drummond de Andrade, o poema "Lira Itabirana"

Poema escrito em 1984 ilustra atual realidade de mineiros e capixabas que sentem o horror ao verem de perto a morte do Rio Doce!!! Das mãos do eterno Carlos Drummond de Andrade, o poema "Lira Itabirana" 
“Lira Itabirana”
I
O Rio? É doce.
A Vale? Amarga.
Ai, antes fosse
Mais leve a carga.

II
Entre estatais
E multinacionais,
Quantos ais!

III
A dívida interna.
A dívida externa
A dívida eterna.

IV
Quantas toneladas exportamos
De ferro?Quantas lágrimas disfarçamos Sem berro?









Nota do blog: Poema de Carlos Drummond de Andrade sobre a exploração das terras mineiras pelas mineradoras para exportação e a eterna cadeia da dívida interna-externa. De 1984.

domingo, 15 de novembro de 2015

Ações do Projeto de Leitura -

Turmas envolvidas:  O trabalho de leitura contemplou as turmas de 7º ano, 6 ª e  7ª series
AÇÕES DE LEITURA.
A realidade atual afasta cada vez mais as crianças e adolescentes do hábito da leitura. Meios eletrônicos como computadores, celulares utilizados como computadores. Acesso as mídias sociais  de forma inadequada, associados à falta de incentivo e acesso a bons livros no meio familiar e ao pouco interesse de nossos alunos, são fatores que contribuem e aumentam a dificuldade para criar o hábito e tomar o gosto pela leitura.
Diante desse contexto, acreditamos ser urgente e necessário que escola busque resgatar o valor da leitura como ato prazeroso e requisito para emancipação social e promoção da cidadania.
Com essa certeza promovemos nas aulas de Língua portuguesa, atividades permanentes de leitura (durante o ano letivo, as atividades apresentadas aqui são referentes ao 1º e 2º trimestres) envolvendo os alunos, numa relação de troca com alunos de outras series e turnos da escola e com pessoas da comunidade que foram convidadas a participarem das leituras como ouvinte e também como leitores.
OBJETIVO GERAL
Desenvolver uma prática pedagógica que motive os alunos ao habito de leitura. Proporcionando momentos extrovertidos e agradáveis de leitura, Provocando o gosto pela diversidade textual.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Despertar nos alunos o desejo de ler, diferentes gêneros textuais, e viver a emoção e  os sentimentos provocados pela leitura .
 Possibilitar o acesso a diferentes tipologias textuais, buscando efetivar enquanto processo a leitura e a escrita.
Tornar o momento e o espaço de leitura potencializadores de conhecimento e magia.
Promover o aprimoramento do vocabulário, proporcionando melhor desempenho da oralidade e da escrita.
Aguçar o prazer pela leitura aumentando o potencial cognitivo e criativo.
Estimular o intercâmbio dessas leituras pessoas de comunidade.


ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

·         Encontros e travessias sem fim com os alunos, nos exercícios de ser criança e no borboletear em poesias com afetos e amizade. (Alunos lendo para as pessoas da comunidade)
 A Roda de leitura é uma atividade que integra o projeto de leitura. Esta é uma atividade simples despretensiosa, cujo objetivo principal é levar os alunos a gostarem de ler e interagirem com o texto de modo bem prazeroso.
                                    E a leitura saiu as ruas , as casas comércios e praças...
                           Alunas abordando as pessoas nas ruas, comercio e praças para a leitura de um poema"
                                       Cenário e os lugares preparados para as apresentações


                      Musicalizando a poesia " As borboletas"




                                  Solineia Plaster professora e escritora contando sobre suas aventuras como leitora"


                                 Animais da ilha do "Diario de um Naufrago"
                                             Estatua viva! ÁGUA"
Encontros e travessias sem fim com os alunos, nos exercícios de ser criança e no borboletar em poesias com afetos e amizade
A utopia esta lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.(Eduardo Galeano) Assim sou eu....não existo sem utopia..sem sonhos....sem um amanhã...

·         SOLTANDO COMO PALAVRAS
 A Sombra de uma arvore  Que da serviu de  varal Para a leitura de Poesias selecionadas pelos alunos.