quarta-feira, 28 de setembro de 2011

RELATO DO PROJETO: VALORIZAÇÃO DA VIDA!!!

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO GRAÇA ARANHA- Santa Maria de Jetibá- ES

Organização e Coordenação: Professoras Carmem Lucia C. De Castro Rosa Elena Pinto Delis Rafaela Pesente, Maria Cristina Plaster Boening Participação Paulo Eni Diretora da escola_ Elvira Bullerjham Apoio: Policia Militar

INTRODUÇÃO:

O Projeto Valorização da vida nasceu primeiro no coração da professora e alunos das turmas de 4ª e 5ª series ao discutirem os trabalhos da disciplina de ensino religioso do ano anterior, e as possibilidades que teriam no ano de 2011, de concluírem alguns temas que ficaram do ano anterior. Nestas discussões nasceram algumas temáticas que poderiam ser abordadas e que os mesmo gostariam de saber um pouco mais. Dessa discussão surgiram os eixos que foram trabalhados nos trimestres de forma a interligada.

O Sub tema do projeto: valorização da vida- ponto de partida EU e ponto de chegada – o Outro esse meu parceiro.

1º trimestre: A valorização da minha vida e do outro – Neste eixo foram abordadas questões como: ONG – trabalho voluntário e pessoas portadoras de necessidades especiais. Ao estudarmos sobre o trabalho voluntario as ONGs entendemos a importância de ajudar e ser ajudado, pelo outro, tivemos então palestra com Os Bombeiros Voluntários de Santa Maria de Jetibá para falar um pouco sobre este grupo como surgiu e qual a proposta de trabalho do mesmo. Chegou então o momento de também o grupo de alunos desenvolverem uma ação voluntaria, os alunos se organizaram prepararam musicas teatros e fizeram uma visita acompanhada da professora no APAE da cidade levando alegria aqueles que ali estavam. Fizemos também visitas no hospital concórdia os alunos tiveram a iniciativa de levar guloseimas e brinquedos que foram oferecidos aos internos. O que deu a eles uma satisfação muito grande.

2º trimestre: Drogas: opção de vida...opção de morte

Desafio [...] aprendi a achar no escuro o rumo e sou capaz de decifrar mensagens seja nas nuvens ou no grafite de qualquer muro.. Affonso Romano de Sant’Anna “ A primeira vez que entendi...”

Este eixo surgiu da necessidade de se falar abertamente sobre as drogas e de trocar e adquirir informações sobre o assunto. Engana-se quem acha que adolescentes aparentemente sem problemas nunca experimentaram drogas. Por isso é importante informar o aluno sobre os malefícios do vício. Essa noção foi à matriz do eixo Drogas: opção de vida...opção de morte desenvolvido no trimestre. De acordo com o Sr. Paulo Eni - que respondeu às questões dos estudantes por meio de bate-papo na palestra -, é muito comum o jovem ter contato com algum tipo de droga. "Mas há uma grande diferença entre o ato de experimentar e a necessidade de continuar”. Ele atribui a curiosidade dos jovens às próprias características dessa fase da vida. "A adolescência é um momento em que a pessoa enfrenta limitações e frustrações. A droga funciona como uma fuga de tudo isso." Falar sobre drogas, porém, não basta. Segundo Paulo, dependendo da forma como o assunto é tratado, pode até estimular a curiosidade pelo uso. "É preciso mostrar que a droga é algo que vai estragar o corpo, a mente a família, vai destruir sonhos e possibilidades de vida digna"
A ação preventiva tem também como justificativa o diagnóstico da situação de risco da comunidade, que mostra um percentual elevado de pessoas envolvidas com o uso do álcool, tabaco, bem como diversas drogas ilícitas como maconha, cocaína e outras mais.

Entendemos que o uso de drogas é um fenômeno sociocultural complexo, o que significa dizer que sua presença em nossa sociedade não é simples.
Não só existem variados tipos de drogas, mas também são diferentes os efeitos por elas produzidos e a adolescência - período marcado por mudanças e curiosidades sobre um mundo que existe além da família - representa um momento especial no qual a droga exerce forte atrativo.
Faz-se necessário, portanto, uma educação preventiva e a conscientização de todos: alunos, pais professores, enfim, toda a comunidade sobre os efeitos e conseqüências maléficas causadas por essas substâncias à vida humana em todos os seus aspectos físico, psíquico e social.
O desafio deste eixo é a luta pela valorização da vida como um bem social a serviço da construção de uma sociedade mais digna e fraterna. Com este entendimento e numa seqüência de idéias e discussão alunos e professoras entenderam a importância de convidar um representante do Projeto Recanto da Esperança- um projeto novo no município que já tem dado seus primeiros frutos. O senhor Paulo Eni foi convidado a participar e trouxe grande contribuição aos alunos ao incentivá-los a formar uma grande força contra o uso de drogas e com proposta de um movimento de constranger o uso de drogas assumindo publicamente a opção de não usar e de valorizar sua vida.

Esta valendo!!! – conhecer o projeto tomar posição contraria ao uso de drogas em defesa de uma vida saudável e feliz os alunos formaram “A CAMINHADA PELA VALORIZAÇÃO DA VIDA” Essa caminhada aconteceu num percursso pequeno e estratégico saindo da escola dando a volta no centro da cidade e retornado a escola em horário de aula, sempre acompanhado pelas professoras, pela diretora da escola, Sr Paulo Eni e sua esposa Léa e alguns voluntários que se juntaram ao grupo.

Um dos pontos importantes foi o da panfletagem (com material produzido pelos alunos) e o momento em que um cidadão se juntou ao grupo pegando a faixa e erguendo como forma de apoio ao trabalho. Ainda na conclusão deste trabalho tivemos o Professor Hudson com o grupo musical – “ Vila Latas” da EMEF Vila Jetiba que se apresentou no Ginásio de Esportes mostrando mais uma possibilidade de valorização da vida sem drogas, mas com dignidade, felicidade e muita alegria. Agendados para a semana cultural as turmas de 5ª serie farão oficinas de artes em que produzirão ensinado algumas técnicas de artes teatros para as pessoas que estão no projeto Recanto Esperança na Semana Cultural.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante a realização do projeto as discussões com os alunos, a participação de colegas e a forma como transcorreu os trabalhos ficou claro que podemos concluir que a Valorização da vida é antes de tudo um processo de ampliação de compromissos do indivíduo em relação a si mesmo e ao outro, na busca da realização de projetos pessoais e coletivos. É uma ação dinâmica, consciente, que não se esgota somente na busca da boa saúde ou na qualidade de vida saudável. Trata-se da compreensão da vida como horizonte de possibilidades em que mesmo dificuldades, desilusões e tristezas podem-se tornar desafios para a busca de soluções e a organização coletiva que vise à transformação social.

Nossos agradecimentos aos colegas professores, aos alunos que assumiram o projeto como tarefa importante nas aulas de Ensino Religioso, Projeto de Leitura e projeto de pesquisa. Ao Danilo (querido amigo e sua letra invejável), a Diretora Elvira Bullerjham (desculpe nossas falhas, parabéns pela sua sensatez e disponibilidade) aos Vigilantes Marcelo e Elton (amigos de sempre), ao secretario Jocimar( e sua doçura em nos ajudar sempre), A Coordenadora Lourdes Degober (gente boa e apoio constante) Ao Sr. Paulo Eni e sua esposa Léa (amigos incentivadores e zelosos). Nossos pedidos de desculpas aqueles que por ventura não soubemos chegar até eles como gostaríamos.

PARTICIPAÇÃO - ÁREAS ENVOLVIDAS

Professora COORDEANDORA DO PROJETO: Carmem Lucia Corrêa De Castro-

Ensino Religioso

Professora: Rosa Elena Pinto Delis -

Porguês, Projeto de pesquisa

Professora: Rafaela Pesente Fardim - Artes
Professora :Maria Cristina Plaster Boening
- projeto de leitura

Professoras de núcleo comum 4ª serie- Ana Rosa de Souza Kuster, Lucineia Berger, Lenyana Miertching, Eloisa Tebaldi Diretora da escola_ Elvira Schimidt Bullerjham Apoio: Policia Militar

Presidente do grupo- Recanto da Esperança Sr Paulo Eni e Srª Lèa

ESTE TRABALHO ESTA PUBLICADO NO JORNAL- PRA LER A REPORTAGEM NO JORNAL CLICK NO LINK ABAIXO: http://www.montanhascapixabas.com.br/?x=materia&codItem=3157&codArea=1

BOAS ESCOLHAS:

"Eu escolhi viver de escolhas, não de chances,

ser motivada, não manipulada,

ser útil, não usada,

me sobressair, não competir.

Eu escolhi amor próprio, não auto piedade.

Eu escolhi ouvir minha própria voz, não a opinião dos outros..."

SE A SUA ESCOLHA É OUTRA EU RESPEITO MAS.....NÃO EXIJA QUE EU TENHA MÁS ESCOLHAS.......NADA JUSTIFICA

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Deus intervém

Imaginemos a seguinte interrogação, bastante honesta: "Se Deus intervém no mundo, não estaria ele indo contra nosso livre-arbítrio?
Deus intervém.
Deus intervém no passado, quando deixou todas as indicações sobre como devemos trafegar pela história que escrevemos. Se nada tivesse feito além de nos deixar o mapa para o caminho, já teria feito muito. Ele intervém negativamente quando experimentamos as conseqüências de não termos levado a sério as orientações que nos legou. Ele intervém positivamente quando Lhe pedimos para entrar em ação. Por isto, a Biblia é uma resposta estimulante ao tema da atuação de Deus no mundo.
Nela encontramos o mais tenso paradoxo: Deus intervém no presente e ainda continuamos livres. Deus intervém quando Lhe pedimos para a agir, preservado o nosso livre-arbítrio. Deus intervém, quando outras pessoas Lhe solicitam, preservado o livre–arbítrio delas, o que mostra também que o livre-arbítrio não é negado por Deus mas por nós. Um ato irresponsavel (nosso para com o outro, ou vice-versa) é um chute na liberdade. Deus intervém quando respondemos ao Seu convite para fazermos coisas juntos, mudando o curso de algumas coisas.
Deus intervém no futuro, ou naquilo que chamamos de futuro, inexistente para Deus. Do outro lado da montanha é futuro para nós, porque para Ele é presente.

Interveio no Éden quando o homem desobedeceu. Foi a intervenção da disciplina.

Interveio no Egito quando o povo gemeu. Foi a invenção do livramento.

Interveio no Sinai e deu a Moisés a tábua das leis. Foi a intervenção da aliança.

Interveio no Monte Carmelo quando Elias orou. Foi a intervenção da fidelidade.

Interveio em Belém da Judéia quando Jesus nasceu. Foi a intervenção da providência.

Interveio no Calvário ao expirar de Jesus. Foi a intervenção da graça.

Interveio em Pentecoste ao operar maravilhas. Foi a intervenção do Espírito.

Interveio no caminho de Damasco quando Saulo caiu. Foi a intervenção do chamado.

Intervirá em breve, ao soar da última trombeta. Será a invenção final.

A história tem sido marcada pela intervenção de Deus. Sendo a manifestação da graça, sem dúvida, a mais profunda, a mais significativa... A maior de todas!


Autor: ISRAEL BELO DE AZEVEDO