terça-feira, 30 de março de 2010

A OVELHA PERDIDA

Certa vez Jesus estava ensinando. Muitos cobradores de impostos que eram odiados pelo povo e pessoas que tinham fama de serem más estavam escutando. Os fariseus que eram os homens que não gostavam de Jesus e que entendiam muito da Lei começaram a criticar Jesus e a dizer: - “Este homem se mistura com gente de má fama e come com eles!” Jesus então contou-lhes uma parábola
Um homem tinha cem ovelhas

E uma delas se perdeu....O que ele fez?
Deixou as noventa e nove pastando no campo e
foi procurar a ovelha perdida até achá-la.

Quando a encontrou ficou muito contente,
pegou-a e voltou com ela carregada nos ombros.

Chegando em casa, chamou os amigos e vizinhos e disse: “Alegrem-se comigo porque achei a minha ovelha perdida!” Jesus então lhes disse: “ Do mesmo jeito haverá maior alegria no céu por uma pessoa de má fama e pecadora que se arrepende do que 99 pessoas justas e boazinhas que não precisam se arrepender


FONTE: Encontrei na net, mas é uma conhecida historia biblica

sexta-feira, 19 de março de 2010

Enigmas inteligentes

Maçãs no Cesto

- Numa sala há 5 pessoas e uma cesta com 5 maçãs dentro dela. Cada uma dessas pessoas ganha uma maçã da cesta, mas ainda sobra uma maçã dentro da cesta. Como isso é possível?

R: Para a última pessoa foi entregue a cesto com a maçã dentro.

Aldeias Mentirosas

- Um homem andava pela estrada a caminho da Aldeia Onde Todas as Pessoas Falam Verdade, que é vizinha da Aldeia Onde Todas as Pessoas Mentem. Nunca tinha ido a nenhuma das aldeias por isso não conhecia o caminho. Não lhe interessava, de maneira nenhuma visitar uma aldeia onde as pessoas não conseguem responder com a verdade a qualquer pergunta que lhes seja posta (como é o caso da Aldeia Onde Todas as Pessoas Mentem). A dada altura há uma bifurcação na estrada e ele sabe que para um lado está a aldeia para onde quer ir e para o outro a aldeia que quer evitar a todo o custo. Não sabendo se deve dirigir-se para a direita ou para a esquerda, fica confuso. Repara então, que mesmo na bifurcação se encontra uma mulher. Não sabe de qual das aldeias esta é proveniente e tem apenas uma pergunta para lhe colocar. Se ela pertencer à Aldeia Onde Todas as Pessoas Falam Verdade, vai concerteza responder-lhe de forma verdadeira. Se pertencer, pelo contrário, à Aldeia Onde Todas as Pessoas Mentem vai mentir-lhe certamente. Qual a pergunta que o pobre senhor deve colocar à mulher para saber para que lado se deve dirigir?

R:"Como se vai para a sua aldeia?" - Se a mulher for a mentirosa, vai responder o caminho para a Aldeia dos que Dizem a Verdade. - Se a mulher disser a verdade, irá responder também o caminho para a Aldeia dos que Dizem a Verdade.

O Carneiro e o Capim

- Um agricultor está com um problema! Precisa atravessar o rio para transportar a sua carga que são dois fardos de capim e um carneiro. O problema é que ele só pode transportar uma coisa de cada vez no seu pequeno barco. Pior ainda, se ele deixar o carneiro e o capim juntos, o carneiro vai comer o mesmo. Como fazer então para que ele leve sua carga para a outra margem sem prejuízo algum?

R:O agricultor atravessa o rio com o carneiro, deixa-o lá, e regressa ao local inicial. Em seguida, transporta um dos fardos para a outra margem. Torna ao local inicial mas levando o carneiro. Leva o segundo fardo até à outra margem. Regressa ao local inicial e transporta o carneiro para a outra margem.

domingo, 14 de março de 2010

MOSAICO

A Evolução da Educação- Para Pensar

A Evolução da Educação.

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia... Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas.

Leiam relato de uma Professora de Matemática:
Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer. Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender. Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda. Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:

a) ( )R$ 20,00

b) ( )R$ 40,00

c) ( )R$ 60,00

d) ( )R$ 80,00

e) ( )R$ 100,00


5. Ensino de matemática em 2000:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00.

Está certo?

a) ( )SIM

b) ( ) NÃO

6
. Ensino de matemática em 2009:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.

a) ( )R$ 20,00

b) ( )R$ 40,00

c) ( )R$ 60,00

d) ( )R$ 80,00

e) ( )R$ 100,00

7. Em 2010 vai ser assim:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00. (Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder)

a) ( )R$ 20,00

b) ( )R$ 40,00

c) ( )R$ 60,00

d) ( )R$ 80,00

e) ( )R$ 100,00


E se um moleque resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos, pois a professora provocou traumas na criança.

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

“Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Passe adiante! Precisamos começar JÁ!
Email recebido do Pr. Camilo Gonçalves Filho

sábado, 6 de março de 2010

Homenagem a Mulheres Especiais...




TU ÉS SABEDORIA E FÉ





TU ÉS ALEGRIA E AMIZADE
TU ÉS SOLIDARIEDADE E PARTILHA



TU ÉS PROFISSIOLNALISMO
TU ÉS DEDICAÇÃO







TU ÉS FAMILIA
TU ÉS HONRA


TU ÉS CARINHO.....................









TU ÉS PRAZER NA SIMPLICIDADE








TU ÉS LUZ .......







TU ÉS JUVENTUDE




TU ÉS BELEZA.......







TU ÉS FORÇA.......





TU ÉS SIMPATIA E COMPANHEIRISMO



TU ÉS CORAGEM... E LUTA POR SUA FAMILIA

TU ÉS OUSADIA NA BUSCA POR SEUS IDEAIS





TU ÉS AMIZADE




TU ÉS A SAUDADE DAQUELES QUE TE CONHECERAM E TE AMARAM




TU ÉS MULHER......

ESPECIAL PARA VOCE MULHER

ESPECIAL PARA VOCÊ MULHER!!!
Mais uma vez parabenizo Deus, pela
Fantástica extraordinária e abençoada
Idéia de fazer esse magnífico feito que
É você mulher.
Inquestionavelmente; a melhor, e a mais
Bela obra de arte de toda a sua criação.
PRA VOCÊ MULHER:
Menina moça, jovem solteira, ou mãe Solteira,
Casada ou separada, viúva, vovó, Ou bisavó.
PRA VOCÊ MULHER:
Ruiva, Loira, morena, ou negra,
De qualquer classe, raça ou nação,
PRA VOCÊ MULHER:
Alta, baixinha, magra, ou gordinha,
Esbelta, esguia, airosa, elegante, garbosa.
PRA VOCÊ MULHER:
A quem Deus confiou o privilégio,
E o milagre da maternidade, e a constituiu
Como “mãe de toda raça humana”.
PRA VOCÊ MULHER:
Meus sinceros parabéns nesse dia especial
Dedicado merecidamente a você
VIVA NOSSO DIA!!!BJS.
TEXTO...PR.FRANÇA
fOTO: CREUZA esposa do Pastor França

Homenagem ao Dia Internacional da Mulher




Mulher


O Deus que te fez nascer mulher

velou pelo teu corpo que crescia,

Colocando dentro de ti

O mistério da participação

Na grande obra da criação.


Não te fez frágil, senão na aparência...

Deu-te uma ousadia tamanha

Que te permitisse ser mãe de muitos filhos,

amando a todos com a mesma força!

E, ainda que suavizando o talhe do teu corpo,
colocou em teu coração

A infinita capacidade de luta, fazendo-te, mulher-mãe,
O exemplo de bravura
Que nem sempre o mundo pode pressentir!
Fonte: Jornal Luz nas Trevas

quinta-feira, 4 de março de 2010

As Mulheres Fazem Historia

1792 - Inglaterra
Mary Wolstonecraft escreve um dos grandes clássicos da literatura feminista – A Reivindicação dos Direitos da Mulher – onde defendia uma educação para meninas que aproveitasse seu potencial humano.
1822 - Brasil
A arquiduquesa da Áustria e imperatriz do Brasil, Maria Leopoldina Josefa Carolina, exerce a regência, na ausência de D. Pedro I, que se encontrava em São Paulo. A imperatriz envia-lhe uma carta, juntamente com outra de José Bonifácio, além de comentários de Portugal criticando a atuação do marido e de dom João VI. Ela exige que D. Pedro proclame a independência do Brasil e, na carta, adverte: "O pomo está maduro, colhe-o já, senão apodrece".
1827 - Brasil
Surge a primeira lei sobre educação das mulheres, permitindo que freqüentassem as escolas elementares; as instituições de ensino mais adiantado eram proibidas a elas.
1857 - Estados Unidos
No dia 8 de março, em uma fábrica têxtil, em Nova Iorque, 129 operárias morrem queimadas numa ação policial porque reivindicaram a redução da jornada de trabalho de 14 para 10 horas diárias e o direito à licença-maternidade. Mais tarde foi instituído o Dia Internacional da Mulher, 8 de março, em homenagem a essas mulheres.
1879 - Brasil
As mulheres têm autorização do governo para estudar em instituições de ensino superior; mas as que seguiam este caminho eram criticadas pela sociedade.
1885 - Brasil
A compositora e pianista Chiquinha Gonzaga estréia como maestrina, ao reger a opereta "A Corte na Roça". É a primeira mulher no Brasil a estar à frente de uma orquestra. Precursora do chorinho, Chiquinha compôs mais de duas mil canções populares, entre elas, a primeira marcha carnavalesca do país: "Ô Abre Alas". Escreveu ainda 77 peças teatrais.
1887 - Brasil
Formou-se a primeira médica no Brasil: Rita Lobato Velho. As pioneiras tiveram muitas dificuldades em se afirmar profissionalmente e algumas foram ridicularizadas.
1893 - Nova Zelândia
Pela primeira vez no mundo, as mulheres têm direito ao voto.
1917 - Brasil
A professora Deolinda Daltro, fundadora do Partido Republicano Feminino em 1910, lidera uma passeata exigindo a extensão do voto às mulheres.
1920 - EUA
Sufrágio feminino.
1923 - Japão
As atletas femininas ganham o direito de participarem das academias de artes marciais.
1927 - Brasil
O Governador do Rio Grande do Norte, Juvenal Lamartine, consegue uma alteração da lei eleitoral dando o direito de voto às mulheres. O primeiro voto feminino no Brasil – e na América Latina! – foi em 25 de novembro, no Rio Grande do Norte. Quinze mulheres votaram, mas seus votos foram anulados no ano seguinte. No entanto, foi eleita a primeira prefeita da História do Brasil: Alzira Soriano de Souza, no município de Lages - RN.
1928 - Brasil
O Governador do Rio Grande do Norte, Juvenal Lamartine, consegue uma alteração da lei eleitoral dando o direito de voto às mulheres. Elas foram às ruas, mas seus votos foram anulados. No entanto, foi eleita a primeira prefeita da História do Brasil: Alzira Soriano de Souza, no município de Lages - RN.
1932 - Brasil
Getúlio Vargas promulga o novo Código Eleitoral, garantindo finalmente o direito de voto às mulheres brasileiras.A primeira atleta brasileira a participar de uma Olimpíada, a nadadora Maria Lenk, de 17 anos, embarca para Los Angeles. É a única mulher da delegação olímpica.
1933 - Brasil
Nas eleições para a Assembléia Constituinte, são eleitos 214 deputados e uma única mulher: a paulista Carlota Pereira de Queiroz.
1937/1945 - Brasil
O Estado Novo criou o Decreto 3199 que proibia às mulheres a prática dos esportes que considerava incompatíveis com as condições femininas tais como: "luta de qualquer natureza, futebol de salão, futebol de praia, pólo, pólo aquático, halterofilismo e beisebol". O Decreto só foi regulamentado em 1965.
1945
A igualdade de direitos entre homens e mulheres é reconhecida em documento internacional, através da Carta das Nações Unidas.
1948
Depois de 12 anos sem a presença feminina, a delegação brasileira olímpica segue para Londres com 11 mulheres e 68 homens. Neste ano, a holandesa Fanny Blankers-Keon, 30 anos, mãe de duas crianças, foi a grande heroína individual da Olimpíada, superando todos os homens ao conquistar quatro medalhas de ouro no atletismo.Declaração Universal dos Direitos Humanos
1949
São criados os Jogos da Primavera, ou ainda "Olimpíadas Femininas". No mesmo ano, a francesa Simone de Beauvoir publica o livro "O Segundo Sexo", no qual analisa a condição feminina.
1951
Aprovada pela Organização Internacional do Trabalho a igualdade de remuneração entre trabalho masculino e feminino para função igual.
1960 - Brasil
Grande tenista brasileira, a paulista Maria Esther Andion Bueno torna-se a primeira mulher a vencer os quatros torneios do Grand Slam (Australian Open, Wimbledon, Roland Garros e US Open). Conquistou, no total, 589 títulos em sua carreira.
1974 - Argentina
Isabel Perón torna-se a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente.
1975 - Argentina
Ano Internacional da Mulher. A ONU promove a I Conferência Mundial sobre a Mulher, na Cidade do México. Na ocasião, é criado um Plano de Ação.
1979 - Brasil
Eunice Michilles, então representante do PSD/AM, torna-se a primeira mulher a ocupar o cargo de Senadora, por falecimento do titular da vaga. A equipe feminina de judô inscreve-se com nomes de homens no campeonato sul-americano da Argentina. Esse fato motivaria a revogação do Decreto 3.199.
1980 - Brasil
Recomendada a criação de centros de autodefesa, para coibir a violência contra a mulher. Surge o lema: "Quem ama não mata".
1983 - Brasil
Surgem os primeiros conselhos estaduais da condição feminina (MG e SP), para traçar políticas públicas para as mulheres. O Ministério da Saúde cria o PAISM - Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, em resposta à forte mobilização dos movimentos feministas, baseando sua assistência nos princípios da integralidade do corpo, da mente e da sexualidade de cada mulher.
1983 - Estados Unidos
Sally Ride é a primeira mulher astronauta. Voou na nave espacial Challenger.
1985 - Brasil
Surge a primeira Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher - DEAM (SP) e muitas são implantadas em outros estados brasileiros. Ainda neste ano, com a Nova República, a Câmara dos Deputados aprova o Projeto de Lei que criou o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher.
1985
É criado o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (Unifem), em lugar do antigo Fundo de Contribuições Voluntárias das Nações Unidas para a Década da Mulher.
1987 - Brasil
Criação do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Rio de Janeiro - CEDIM/RJ, a partir da reivindicação dos movimentos de mulheres, para assessorar, formular e estimular políticas públicas para a valorização e a promoção feminina.
1988 - Brasil
Através do lobby do batom, liderado por feministas e pelas 26 deputadas federais constituintes, as mulheres obtêm importantes avanços na Constituição Federal, garantindo igualdade a direitos e obrigações entre homens e mulheres perante a lei.
1990 - Brasil
Eleita a primeira mulher para o cargo de senadora: Júnia Marise, do PDT/MG.
1993 - Brasil
Assassinada Edméia da Silva Euzébia, líder das Mães de Acari, o grupo de nove mães que ainda hoje procuram seus filhos, 11 jovens da Favela de Acari (RJ), seqüestrados e desaparecidos em 1990. Zélia Cardoso de Mello é a primeira ministra do Brasil. Ela assume a pasta da Economia no governo de Fernando Collor (1990-92).
1993
Ocorre, em Viena, a Conferência Mundial de Direitos Humanos. Os direitos das mulheres e a questão da violência contra o gênero recebem destaque, gerando assim a Declaração sobre a eliminação da violência contra a mulher.
1994 - Brasil
Roseana Sarney é a primeira mulher eleita governadora de um estado brasileiro: o Maranhão. Foi reeleita em 1998.
1996 - Brasil
O Congresso Nacional inclui o sistema de cotas, na Legislação Eleitoral, obrigando os partidos a inscreverem, no mínimo, 20% de mulheres nas chapas proporcionais.
1996 - Brasil
A escritora Nélida Piñon é a primeira mulher a ocupar a presidência da Academia Brasileira de Letras. Exerce o cargo até 1997 e é membro da ABL desde 1990.
1997 - Brasil
As mulheres já ocupam 7% das cadeiras da Câmara dos Deputados; 7,4% do Senado Federal; 6% das prefeituras brasileiras (302). O índice de vereadoras eleitas aumentou de 5,5%, em 92, para 12%, em 96.
1998 - Brasil
A Senadora Benedita da Silva é a primeira mulher a presidir a sessão do Congresso Nacional.
2001 - Alemanha
A alemã Jutta Kleinschmidt é a primeira mulher a vencer o Rali Paris-Dakar, na categoria carros. Considerada a prova mais difícil do planeta - seu desafio é atravessar o deserto - Kleinschmidt, com essa vitória, faz jus à força feminina, presente em todas as atividades do mundo atual. Em 23 anos de disputa, jamais uma mulher havia ganhado nessa competição.
2006 - Chile
Michelle Bachelet é a primeira mulher eleita presidente, entre todos os países
da América do Sul. Em 2007, mais uma presidente é eleita: Cristina Kirchner, na Argentina.
Fonte:http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/

Dia Internacional da Mulher- A Mulher Hoje!!!

A Mulher Hoje !!!
Apesar de ter seus direitos garantidos pela Constituição, a mulher brasileira sabe que ainda há muito a conquistar.
Só para ter idéia da importância das mulheres, basta saber que elas representam mais da metade da população brasileira. De acordo com a Síntese de Indicadores Sociais -2007, a população brasileira em 2006 era de 187,2 milhões de habitantes. Desse total, 96 milhões eram mulheres.
O aumento da proporção de mulheres em relação a homens é uma tendência demográfica no Brasil, ou seja: a cada nova pesquisa, os resultados mostram que a população feminina tem aumentado cada vez mais em relação à masculina. O indicador demográfico que expressa essa proporção se chama razão de sexo; ele mostra o número de pessoas do sexo masculino para cada grupo de 100 pessoas do sexo feminino. Acompanhe no gráfico:
Fonte: IBGE, Síntese de Indicadores Sociais – 2007.
Como você pode observar, as Regiões Metropolitanas de São Paulo, Curitiba e Porto Alegre apresentaram a relação homem/mulher mais equilibrada, aproximadamente de 92 homens para cada 100 mulheres. As informações sobre as Regiões Metropolitanas do Rio de Janeiro, Salvador e Recife mostraram que, para cada 100 mulheres, tinham apenas entre 86 e 88,5 homens.
Outra tendência demográfica expressa na Síntese de Indicadores Sociais – 2007 é um processo de envelhecimento da população, ou seja, há menos crianças e jovens do que antes. A vida média ao nascer, entre 1996 e 2006, incrementou 3,5 anos, com as mulheres em situação bem mais favorável que a dos homens (72,3 para 75,8 anos, no caso das mulheres, e 65,1 para 68,7 anos, para os homens). O aumento da esperança de vida ao nascer em combinação com a queda da taxa de fecundidade resulta no aumento da população idosa – principalmente a feminina. Observe a pirâmide etária brasileira:
Fonte: IBGE, Síntese de Indicadores Sociais – 2007
Em 2006, a taxa de fecundidade total (número médio de filhos que uma mulher teria ao final do seu período fértil) foi 2,0 filhos. Segundo a Síntese de Indicadores Sociais – 2007, a queda da taxa de fecundidade nas últimas décadas é uma tendência não só no Brasil: diversos países já atingiram valores bem abaixo do chamado nível de reposição natural da população, principalmente os europeus. Entre nossos vizinhos americanos, observamos o caso de Cuba, cuja taxa em 2005 era de 1,6 filho, contrastando com a Bolívia, com 3,7 filhos por mulher. A Argentina se encontra nos mesmos patamares que o Brasil.

Fonte: IBGE, Síntese de Indicadores Sociais – 2007.
Mulheres responsáveis por domicílios

Entre 1996 e 2006, o percentual de mulheres responsáveis pelos domicílios aumentou de 10,3 milhões para 18,5 milhões. Em termos relativos, esse aumento corresponde a uma variação de 79%, enquanto, neste período, o número de homens “chefes” de família aumentou 25%. A Síntese de Indicadores Sociais – 2007 nos mostra que o aumento da “chefia” feminina ocorreu principalmente nas famílias compostas por casal com ou sem filhos.

É interessante pensar em alguns fatores que influenciam o aumento do número de mulheres responsáveis pelo domicílio.
Maior participação das mulheres no mercado de trabalho e, conseqüentemente, maior contribuição para o rendimento da família: Entre 1996 e 2006, o nível de ocupação das mulheres aumentou quase 5 pontos percentuais, ao passo que para os homens ocorreu uma redução de cerca de 1 ponto percentual. Para as mulheres, o aumento nos níveis de ocupação foi maior no Sudeste e na categoria de 40 a 49 anos de idade.
A alta expectativa de vida da mulher em algumas cidades ou regiões: A mulher assume a liderança da casa após a morte do companheiro. Isto contribui para o aumento do número de mulheres que moram sozinhas. Segundo a Síntese de Indicadores Sociais – 2007, 26,7% das mulheres responsáveis por domicílios têm 60 anos ou mais de idade.
Casamentos desfeitos: A mulher, separada do marido, torna-se responsável pelo domicílio sozinha ou com os filhos. Entre os diversos tipos de estrutura familiar, a maior proporção de mulheres “chefes” encontrava-se em famílias que não contavam com a presença do marido e todos os filhos tinham 14 anos ou mais de idade (29,4%).
Homens que migram: de seu estado ou região em busca de emprego ou por outros motivos.
Aspectos culturais: As mulheres que valorizam a autonomia, independência e busca profissional muitas vezes preferem morar sozinhas. É simplesmente uma opção, uma questão de ponto de vista.
Participação no mercado de trabalho
Segundo a última Síntese de Indicadores Sociais, a maior participação das mulheres no mercado de trabalho tem se concentrado em quatro grandes categorias ocupacionais que, juntas, compreendem cerca de 70% da mão de obra feminina: serviços em geral (30,7%); trabalho agrícola (15%); serviços administrativos (11,8%); e comércio (11,8%).
Existem diferenças entre Grandes Regiões. Em 2006, a participação feminina nos serviços foi maior na Região Centro-Oeste (36%); no Nordeste, 26,6% das mulheres eram trabalhadoras agrícolas; o serviço administrativo, por sua vez, foi mais expressivo para as trabalhadoras do Sudeste; e as atividades de comércio absorviam 15,5% das mulheres ocupadas no Norte.
Para as mulheres ocupadas mais escolarizadas, com média de 12 anos de estudo ou mais, a inserção no mercado de trabalho é mais intensa nas atividades de educação, saúde e serviços sociais (44,5%). No Norte, essas atividades absorvem 53% da mão-de-obra feminina mais qualificada. As outras atividades e a administração pública também concentram boa parte da mão-de-obra feminina qualificada: 14,9% e 11,2%, respectivamente. No Centro-Oeste, provavelmente pela presença da Capital Federal, observa-se a maior concentração de mulheres na administração pública (20%).
Educação
Nas áreas urbanas, a escolaridade média das mulheres é de 7,4 anos para a população total e de 8,9 anos para as ocupadas. No Brasil rural, a situação é bem diferente. Essas médias são baixas: 4,5 anos e 4,7 anos, respectivamente.
As áreas metropolitanas apresentam as maiores médias de anos de estudo. No Distrito Federal, a escolaridade média das mulheres ocupadas é a mais elevada (10,4 anos). Por outro lado, a menor média observada foi nas áreas rurais de Piauí e Alagoas (3,2 anos), ou seja, nessas áreas as mulheres que estão ocupadas podem ser consideradas analfabetas funcionais e inseridas em trabalhos precários.
Acompanhe a tabela abaixo:

Fonte: IBGE, Síntese de Indicadores Sociais – 2007.

As mulheres também estão à frente quando o assunto é ensino superior e a tendência é ao aumento da qualificação da parcela feminina da população brasileira. Em 1996, do conjunto das pessoas que freqüentavam estabelecimentos de ensino superior, a proporção de mulheres era de 55,3%, passando para 57,5%, em 2006. Isto mostra que os homens estão perdendo espaço no processo de escolarização, pelo menos, no que tange a taxa de escolarização superior.
Fonte: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/

08 de março - Dia Internacional da Mulher




Vale a pena lutar!

O Dia Internacional da Mulher foi criado em homenagem a 129 operárias que morreram queimadas numa ação da polícia para conter uma manifestação numa fábrica de tecidos. Essas mulheres estavam pedindo a diminuição da jornada de trabalho de 14 para 10 horas por dia e o direito à licença-maternidade. Isso aconteceu em 8 de março de 1857, em Nova Iorque, nos Estados Unidos.É longo o caminho das mulheres em busca de respeito à sua dignidade pessoal, social e profissional. Longo, mesmo. E, isto, vocês podem perceber clicando em "As mulheres fazem a história".Quando pensamos que, no fim do século dezenove, na Inglaterra, mulheres sozinhas, sem marido, eram consideradas um problema social, levamos um susto. Parece mentira, não? Mas não é.
Vista como um ser esquisito, o tal probleminha social, na verdade, não passava de uma preocupação política com o mercado de trabalho. O censo inglês da época contava muito mais mulheres solteiras do que homens, ocasionando um alarme entre os detentores do poder econômico.
Chegou-se a cogitar a emigração de mulheres para as colônias - onde sobrava homem -, para que elas pudessem exercer a sua função de fêmea, que seria, segundo concepção em voga, apenas o de completar e embelezar a vida do homem e não em se preocupar com carreira ou em ganhar seu sustento.
As feministas, por sua vez, tinham uma visão bem mais prática sobre a questão. Para elas, o excedente de mulheres disputando vagas no mercado de trabalho deveria ajudar a sociedade a refletir sobre as políticas sociais que lhes fechavam a porta para o ensino superior, para o voto e para as oportunidades profissionais e de desenvolvimento do seu potencial humano.