domingo, 19 de junho de 2011

Artigo sobre Leitura e interpretação.

Leitura e interpretação

A interpretação de texto é uma
atividade que ocorre em todos os
níveis escolares e, toda vez que a
proposta é lançada em sala de
aula, é comum ouvirmos murmúrios,
tais como: De novo! Ah!
Não! Eu não gosto de interpretação
de texto!
Mas, o que pouco sabemos é
sobre as origens deste desconforto.
Em primeiro lugar, necessitamos
saber o porquê de os alunos
resistirem tanto a este tipo de trabalho.
Tais resistências podem ter
surgido damaneira como é imposta
a interpretação, ou pelo fato
deles apresentarem pouca concentração
ou, ainda, por não conseguirem
compreender o que leram.
De acordo com os estudos
de Vygotsky, o pensamento não se
expressa apenas em palavras, ele
se torna presente por meio delas,
criando assimalicerces que geram
maior compreensão.
Cagliari nos diz que o segredo
da alfabetização é a leitura. Talvez
mais um motivo desse desconforto:
o pouco incentivo à leitura oferecido
aos alunos, na fase da alfabetização.
Segundo o autor, o leitor
deverá em primeiro lugar decifrar
a escrita, depois entender a
linguagem encontrada, em seguida
decodificar todas as implicações
que o texto tem e, finalmente,
refletir sobre isso e formar o
próprio conhecimento e a opinião
a respeito do que leu.
Para Ferreiro e Teberosky, a
causa principal das dificuldades
de compreensão do conteúdo da
leitura é o domínio imperfeito da
mecânica da leitura.
É comum encontrarmos alunos,
e até mesmo adultos formados,
capazes de lerem reportagens
em jornais e artigos em revistas
e não entenderem nada daquilo
que leram.
O trabalho com a interpretação
não acontece apenas na área da
Língua Portuguesa, mas em todos
os campos de nosso aprendizado
escolar. Muitos pesquisadores
atribuem a dificuldade na Matemática
à interpretação das situações-
problema ou das ordens dos
exercícios. Isto é mais uma prova
de que devemos atribuir uma atenção
especial a este assunto.
Segundo Vygotsky, um estudo
mais profundo do desenvolvimento
da compreensão e da comunicação
na infância levou-nos à conclusão
de que a verdadeira comunicação
requer significado, ou
seja, só compreende o que lê aquele
que consegue entender o significado
das palavras. Assim, concluímos
que primeiro é preciso
compreender aquilo que estamos
lendo para, depois, conseguirmos
interpretar a leitura feita.
É necessário, ainda, incentivar
nossos alunos, por meio de uma
atitude questionadora que favoreça
a leitura como um processo
mental, oferecendo exercícios de
compreensão e discussão sobre o
que foi lido.
De início, o aluno lê o texto,
compreende aquilo que leu e somente
depois consegue fazer a
sua interpretação.

•LUCIANE KNÜPPE
Licenciada em Pedagogia com Habilitação
em Supervisão Escolar.
Especialista em Educação Infantil.
Porto Alegre/RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário