Radio Imad Amor de Deus

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Violência contra a mulher cristã

“Pra que violência, se de uma boa conversa ninguém escapa?”.
Não é preciso a brutalidade,nem a agressão, nem o derramamento de sangue, se tudo pode ser resolvido através do diálogo. Em qualquer circunstância sempre se é possível resolver o problema, seja ele qual for, através da conversação, sendo assim, então por que o uso da violência? E pior ainda: por que contra a mulher?


“VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: AUSÊNCIA DE AMOR E DE RESPEITO!”
A violência em si já é uma atitude covarde, e quando aplicada à mulher, torna-se mais covarde ainda, e assim também o é quem a pratica. Por conta da facilidade que há hoje em dia em se adquirir uma arma (especialmente de fogo) tornou-se possível o homem passar por um processo de metamorfose de efeito instantâneo: de covardes a valentes, de medrosos a corajosos. O que antes poderia ser sanado em poucas palavras e até mesmo com um pedido de desculpas, agora é impossível, dando lugar a um gesto violento que com certeza é desnecessário e dispensável.


É difícil encontrar atualmente pessoas respeitosas; ninguém mais está preocupado com ninguém. Os idosos, as gestantes, as crianças perderam a importância para a sociedade; o que importa é a satisfação de um sentimento que naquele momento necessita ser extravasado de forma à levar alguém a um alto grau de sofrimento e dor, e o homem como exerce um certo “poder” de coação sobre a mulher para alcançar seu intento, utiliza algum artifício para subordiná-la socialmente, tirando bom proveito dessa vantagem, Faz sofrer aquela que Deus criou, visando prevalecer a sua vontade (geralmente através da força).
“Constitui violência contra as mulheres, todo ato realizado contra elas que tenha como resultado possível e real um dano físico (Jo :4-5:“E, pondo-a no meio,disseram-lhe: Mestre,esta mulher foi apanhada,no próprio ato,adulterando,e,na lei,nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois,que dizes?”); sexual (Gn 34:2: “Hamor, o heveu, que era chefe daquela região, tinha um filho chamado Siquém. Este viu Diná, pegou-a e a forçou a ter relações com ele”) ou psicológico (II Rs 4:1: “E uma mulher das mulheres dos filhos dos profetas,clamou a Eliseu dizendo:Meu marido,teu servo,morreu;e tu sabes que o teu servo temia ao Senhor;e veio o credor a levar-me os meus dois filhos para serem servos ”), incluídas as ameaças, a coerção ou a privação arbitrária da liberdade, tanto na vida pública como na privada”.


Toda essa malignidade contra a mulher tem diversas origens, tais como: nas tradições e costumes que lhes foram impostos, através de conceitos ignorantes. No passado a mulher era preparada para um certo tipo de submissão que limitou o seu entendimento, fazendo com que se anulasse e com isso, em nada se impusesse. O tempo foi passando e o homem foi se sentindo possuidor dela, submetendo-a aos seus mais diversos caprichos.As autoridades também, por sua vez têm sua parcela de culpa, apresentando reações inadequadas com o intento de previnir e de fazer cumprir a legislação.Podemos atribuir também a essa situação, a ausência de orientação, principalmente a espiritual, sobre as causas e conseqüências dessa prática (e muitos outros geradores).A violência contra a mulher sempre existiu, desde as épocas mais remotas. Nos tempos bíblicos as mulheres nem eram contadas (estatisticamente falando); quando menstruavam eram consideradas impuras; se não tinham filhos eram desprezadas.
Tudo isso devido aos costumes do povo da época, mas não se pode deixar de perceber uma certa “pitada” de discriminação contra ela desde então, de onde se concluí que, sempre houve o preconceito, e este sempre viveu impunemente, e a impunidade é a cúmplice da violência.Mas tudo poderia ser diferente: se houvesse amor no coração dos homens (Jo 13:34 “ Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros”).
A única solução para a violência é praticar o amor.Quando Deus criou a mulher, a fez da costela do homem, por ficar embaixo de seu braço,para ser protegida e não,mal tratada!A Bíblia nos diz que Ele a criou para que fosse companheira e ajudadora (Gn 2:18:”E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só;far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea”) mas parece que o homem entendeu exatamente ao contrário:“ E disse o Senhor Deus:Não é bom que o homem esteja só;far-lhe-ei um “saco de pancadas” que lhe seja idôneo”).
O homem que mal trata uma mulher é porque na verdade,não lhe tem amor,e se falta amor para com ela, com certeza,dele para com ele mesmo também ocorre o mesmo.

O DESAMOR E O PRECONCEITO SÃO AS PIORES FORMAS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER.
Seja diferente homem: V A L O R I Z E – A!
Seja diferente mulher: V A L O R I Z E – S E !

F onte: http://www.prjonasneto.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário