Sociologia - Trabalho e Sociedade

01) É necessário que ao buscar o significado do 

trabalho, faça-se sempre referência:
a) à relação de emprego
b) ao que pensa cada trabalhador da sua atividade.
c) aos planos empresariais.
d) ao nível de desenvolvimento tecnológico empregado.
e) às formas concretas das sociedades, culturas e civilizações em 
questão.

02) O trabalho humano pode ser genericamente definido como:
a) o trabalho realizado em qualquer processo independente da 
finalidade.
b) o trabalho que exprime uma tendência de personalidade.
c) o trabalho pelo qual o homem transforma a natureza, 
transformando a si próprio e à sociedade em que vive.
d) do fim último das sociedades industriais.
e) qualquer atividade que tenha por fim um valor de uso.

03) O que distingue o resultado do trabalho humano daquele 
proveniente da mais organizada das comunidades animais?
a) o emprego de máquinas para transformar os objetos de trabalho.
b) o uso relativo de um esforço menor em função de um planejamento e gerência.
c) a capacidade humana de idealizar o produto do seu trabalho, ou seja a característica teleológica do trabalho.
d) a extração de mais-valia absoluta.
e) a extração de mais-valia relativa.

04) Quando o trabalho exprime as tendências profundas da 
personalidade e ajuda o Homem a se realizar, podemos dizer que equipara-se:
a) à satisfação de necessidades.
b) à coerção, já que obedece a uma exigência incontrolável da
 pessoalidade.
c) à ação.
d) à produção de utilidades.
e) à consecução do objetivo do Ser. 


05) Podemos dizer que o trabalho sob o aspecto de necessidades:
a) gerou o capital financeiro.
b) objetiva a produção de valor de troca, qualquer que seja a 
sociedade considerada.
c) se revela um gerador de utilidades (valores de uso), bem como
 de mercadorias.
d) exigiu a introdução das práticas gerenciais na indústria.
e) objetiva a produção de valor de uso, qualquer que seja a 
sociedade considerada.

06) Quando se fala em necessidade é preciso contextualizá-la em 
função dos motivos abaixo elencados, exceto:
a) porque toda sociedade gera utilidades consoante um período determinado.
b) porque as necessidades alteram-se conforme a organização 
social e o momento histórico considerado.
c) porque em qualquer sociedade a defasagem existente entre as necessidades e os meios econômicos tem incidências importantes 
sobre as atividades de trabalho.
d) porque a necessidade é valor prenhe de variáveis psicológicas 
e sociais.
e) porque o mesmo trabalho pode suprir uma necessidade, e ser considerado uma ação ou uma coerção.

07) O trabalho executado para a suprir uma necessidade pode ao mesmo tempo ser considerado, conforme a razão que animou a sua 
realização:
a) uma ação ou uma coerção.
b) produtivo ou improdutivo.
c) uma coerção integrada ou uma necessidade simplesmente.
d) gerador de um valor de uso ou de um valor de troca.
e) exclusivamente gerador de um valor de uso.

08) A compulsão que caracteriza a atividade de trabalho pode 
ser:
a) técnica ou científica.
b) é a principal característica da extração de mais-valia.
c) de origem externa ou interna.
d) as alternativas a e c estão corretas.
e) as alternativas a, b e c estão corretas.

09) A compulsão que provém ou de um ideal de servir à 
sociedade ou da necessidade de criação artística, científica ou 
técnica, classifica-se como:
a) um comportamento normal da personalidade.
b) de origem interna.
c) criadora, exclusivamente, de utilidades.
d) abnegação.
e) um comportamento altruísta.


10) A persuasão moral e a coação econômica constituem: 
a) compulsões de origem externa.
b) compulsões de origem interna.
c) compulsões de origem interna e externa.
d) as alternativas a e b estão corretas.
e) somente a b está correta.

11) Há sociedades em que a complexidade da cadeia produtiva 
se torna tão grande que o produtor perde o sentido que sua 
contribuição representa. Esse processo se denomina:
a) exploração.
b) extração de mais-valia.
c) alienação.
d) desvalorização.
e) despersonalização.

12) Afirma a teoria marxista que alguns homens são alienados 
do seu trabalho:
a) pelas relações de produção econômica.
b) pelas relações de produção econômica e pelos sistemas de 
dominação de classe .
c) pelas relações de produção e pelo aparato gerencial.
d) pelo aparato gerencial e pelo mercado.
e) pelo desenvolvimento da técnica.

13) Para MARX, a exploração:
a) existe na exata medida em que é percebida pelos trabalhadores
b) é uma realidade objetiva decorrente de certos sistemas 
produtivos.
c) é um procedimento técnico, amplamente desenvolvido nas 
minas de carvão.
d) depende da objetividade do empregador no trato dos 
empregados.
e) é uma realidade subjetiva decorrente do processo de alienação.

14) Para MARX, aumentando-se a jornada de trabalho para 
além do tempo de trabalho em que o operário produziria o 
necessário a sua subsistência, e reduzindo a sua remuneração ao
 mínimo necessário para a satisfação de suas necessidades, obtém-se:
a) a mais-valia absoluta.
b) a produção de utilidades e a satisfação de necessidades.
c) as condições para um belo aumento salarial.
d) o aumento da produtividade do trabalho.
e) a mais valia relativa. 

15) A mais-valia relativa consiste em: 
a) aumento da jornada de trabalho. 
b) aumento da remuneração do trabalho. 
c) diminuição da remuneração do capital. 
d) potencializar a produtividade do trabalho. 
e) diminuição da remuneração do trabalho. 
16) Todas as sociedades possuem em algum grau divisão social 
do trabalho, mas é característica da sociedade capitalista, exceto: 
a) a reprodutibilidade da divisão social do trabalho no
 interior das organizações. 
b) a distinção entre o planejamento e a execução do trabalho. 
c) a divisão manufatureira do trabalho. 
d) a divisão das tarefas com o objetivo de potencializar a 
produtividade. 
e) a divisão das tarefas exclusivamente objetivando a 
produção de valores de uso. 

17) Para DURKHEIM, resulta da Divisão do Trabalho: 
a) a solidariedade orgânica, devido às semelhanças. 
b) o aumento da força produtiva e da habilidade do trabalhador. 
c) a solidariedade mecânica. 
d) o conjunto das regras sociais que eliminam a possibilidade 
de Patologia Social. 
e) o conjunto das regras sociais que eliminam a possibilidade 
de Anomia Social. 

18) Para DURKHEIM, a solidariedade social é: 
a) uma possibilidade, que depende da vontade dos homens. 
b) o próprio exercício da fraternidade e do altruísmo. 
c) condição essencial para a existência e continuidade das sociedades baseadas na divisão do trabalho. 
d) a expressão de uma anomia social. 
e) a expressão de uma sociedade saudável. 

19) Os dois tipos básicos de solidariedade por DURKHEIM são: 
a) a anomia e a patologia. 
b) a mecânica e a orgânica. 
c) a social e a positiva. 
d) a social e a mecânica. 
e) a física e a mecânica. 

20) A solidariedade mecânica: 
a) produz a divisão constrangida do trabalho. 
b) resulta da dessemelhança entre os indivíduos e entre os órgãos sociais. 
c) resulta das semelhanças e prende diretamente o indivíduo à 
sociedade. 
d) é própria das sociedades marcadas por uma profunda 
Divisão do Trabalho. 
e) é própria das sociedades onde vige as regras deterministas de 
convivência social. 

21) Na solidariedade orgânica: 
a) cada parte, do todo social, desenvolve atividades 
desnecessárias às demais. 
b) o indivíduo depende da sociedade, porque depende das 
partes que a compõem. 
c) o indivíduo, marcado pela Divisão do Trabalho, é a imagem e 
semelhança da sociedade. 
d) os sentimentos e crenças de cada um coincidem quase 
exatamente com os sentimentos e crenças do grupo. 
e) os sentimentos e crenças de cada grupo coincidem quase 
exatamente com os de toda a sociedade. 

22) Para DURKHEIM, a divisão do trabalho provoca: 
a) dogmas de conduta pessoal. 
b) estados de mútua dependência entre órgãos solidários. 
c) disfunção social. 
d) a expressão positiva da sociedade. 
e) hábitos de valorizar a troca de mercadorias. 

23) Na vida em sociedade, há certas situações que DURKHEIM
 chama de anomia. O que ela vem a ser? 
a) existem regras sociais, mas elas não se referem 
especificamente a nenhuma relação social. 
b) o mesmo que patologia social. 
c) a cada relação corresponde uma regulamentação e vice-versa. 
d) as relações sociais encontram-se sem regulamentação. 
e) deficiências nos sistemas de divisão social do trabalho. 

24) Considera-se que a divisão social do trabalho: 
I. depende da distribuição de tarefas entre os indivíduos ou 
agrupamentos sociais, de acordo com a posição que cada um 
deles ocupa na estrutura social e nas relações de propriedade. 
II. reproduz-se nas empresas através da divisão técnica das 
tarefas que se fundamenta tanto na necessidade de elevar a 
produtividade como de manter relações de hierarquia. 
III. deve-se ao interesse mútuo de setores diversos. 
IV. relaciona-se aos meios de produção e ao acaso na 
distribuição dos produtores de mercadorias. 

Quanto às assertivas acima podemos dizer: 

a) todas as assertivas são falsas. 
b) todas as assertivas são corretas. 
c) somente são corretas a I e a III. 
d) somente a I é correta. 
e) somente a II é incorreta. 


I. Marx distinguindo a divisão social do trabalho da divisão 
manufatureira do trabalho pôs em relevo as diferenças entre 
os aspectos técnicos e os aspectos sociais e humano dessas 
divisões. Sobre o primeiro aspecto prevalecem as exigências
 da eficácia técnica e dos rendimentos; sobre o segundo aspecto as relações de dominação e de hierarquia. 
II. A divisão das tarefas na empresa é uma forma de 
cooperação tecnicamente eficaz, na sociedade global, 
entretanto, a cooperação está sujeita a oposição incontrolável 
de variáveis do sistema social e econômico. 
a) somente é correta a assertiva I. 
b) somente a II é incorreta. 
c) somente a II é correta. 
d) as duas assertivas são falsas. 
e) as duas assertivas são corretas. 

26) Como se distingue o trabalho produtivo do improdutivo? 
a) pela sua capacidade de somar à acumulação do capital. 
b) conforme haja vínculo empregatício formal ou não. 
c) um é remunerado pelo salário, o outro, em espécie. 
d) o primeiro se refere aos setores primário e secundário da 
economia, o segundo, ao terciário. 
e) pela possibilidade de gerar bens ou serviços. 

27) Para Marx em que consiste o capital variável ? 
a) na transformação de dinheiro em valores de uso. 
b) na realização de atividades que produzem utilidade, 
satisfazendo necessidades. 
c) na quantidade de dinheiro que destina-se a pagar o trabalho. 
d) de uma relação de produção, voltada à produção de excedentes. 
e) no capital proveniente da renda de juros e lucros obtidos em 
função do trabalho. 

28) Os três tipos básicos de categorização do trabalho nas
 sociedades capitalistas são: 
a) os tipos básicos resumem-se a um só: o que produz utilidades. 
b) o trabalho assalariado, o não assalariado e o que gera lucros. 
c) o trabalho cuja remuneração é o lucro, o produtivo e o 
improdutivo. 
d) o trabalho diretamente produtivo, o indiretamente
 produtivo e o improdutivo. 
e) o trabalho privado e o trabalho público. 

29) O desenvolvimento tecnológico encontra-se diretamente 
relacionado com: 
a) o uso da ciência aplicada. 
b) o controle que o trabalhador exerce sobre o processo de 
trabalho. 
c) o aumento da produtividade do trabalho. 
d) as alternativas a e c estão corretas. 
e) somente a alternativa c está correta. 

30) Progresso técnico e divisão do trabalho exigem: 
a) serviços que orientam o indivíduo no reconhecimento de suas 
aptidões. 
b) especialização profissional. 
c) maior adequação entre capacitação do trabalhador e 
requisitos para o trabalho. 
d) todas as alternativas acima estão corretas. 
e) somente a alternativa c está correta. 

31) O desemprego na economia capitalista moderna é decorrente: 
a) das deficiência de cada um. 
b) de um conjunto de possibilidades associadas ao mercado: 
procura e oferta de um bem, serviço, mercadoria, ou seja da oferta de empregos. 
c) do grau de informação do interessado, bem como sua 
qualificação. 
d) do desejo de não estar empregado ou da oferta reduzida de 
empregos. 
e) da demanda de empregos, ou seja da oferta agregada. 

32) O objetivo de pleno emprego só é inteiramente alcançado 
quando está associado a outro fator? 
a) estabilidade no nível de preços e de salários. 
b) a uma política governamental centralizadora e interventora. 
c) ao desejo de todos em realizar uma atividade remunerada. 
d) a uma relação entre desejo de trabalhar e oferta de empregos. 
e) a uma relação entre o interesse de trabalhar e a demanda por 
empregos. 

33) A quantidade de mão-de-obra disponível depende 
principalmente dos seguintes fatores: 
a) da eficiência dos trabalhadores e do tempo que estão 
dispostos a trabalhar. 
b) do desenvolvimento da tecnologia e da escolaridade dos 
trabalhadores. 
c) do absenteísmo e da qualificação profissional. 
d) do nível das admissões e do tempo que a população 
aspira a lazer, recreação e cultura. 
e) das tendências de fecundidade, da mortalidade, da 
migração e das características sócio-econômicas de dada 
população em dado tempo. 

34) Advém nas ocasiões e circunstâncias em que há 
empecilhos a uma atividade econômica contínua, gera-dos pela 
escassez de recursos produtivos: 
a) o trabalho informal. 
b) o desemprego. 
c) o subemprego. 
d) um período de recessão na economia. 
e) o desemprego oculto pelo desalento. 

35) A composição da mão-de-obra segundo o sexo, é considerada: 
a) um reflexo natural da composição sexual da população em 
geral. 
b) uma conseqüência do emprego maior da mão-de-obra 
feminina no seio familiar. 
c) um fenômeno social e político. 
d) uma conseqüência exclusiva das características biológicas 
de ambos os sexos. 
e) consequência de imposições das culturas religiosas dos povos 
ocidentais. 

36) Para MARX a jornada de trabalho é composta: 
a) do trabalho necessário e do trabalho excedente. 
b) do número necessário e horas para cobrir as despesas com 
salário. 
c) da mais-valia absoluta e da relativa. 
d) do conjunto de elementos constitutivos do trabalho. 
e) do tempo socialmente necessário para a produção de bens e 
serviços. 

37) À produção excedente, de que o capitalista se apropria, 
gerada pela extensão do tempo de trabalho além do socialmente 
necessário à reprodução da força de trabalho, chamamos de: 
a) valor de troca. 
b) mais-valia relativa. 
c) mais-valia absoluta. 
d) exploração. 
e) trabalho morto. 
38) Quando, através de novas técnicas produtivas, o trabalhador 
é levado a produzir, em menos tempo, tudo aquilo que é 
necessário para repor sua força de trabalho sem que, 
mesmo assim, a jornada de trabalho seja reduzida, ele 
estará gerando um excedente que é designado pelo teoria marxista como: 
a) valor de troca. 
b) mais-valia relativa. 
c) mais-valia. 
d) coisificação. 
e) mais-valia absoluta. 

39) A elevação da força produtiva do trabalho, da 
produtividade do trabalhador, cria sobre a mercadoria e o 
trabalho o efeito de: 
a) o seu barateamento. 
b) a alienação de um em relação ao outro. 
c) um encarece e o outro se torna descartável. 
d) a mercadoria barateia e o preço da força de trabalho encarece. 
e) a mercadoria barateia e o preço da força de trabalho 
também fica reduzido. 

40) Todos os pontos abaixo podem ampliar a produtividade do trabalho, exceto: 
a) elevar a escolaridade do trabalhador. 
b) promover um sistema de gerenciamento adequado, 
internamente à empresa. 
c) alterar o instrumental ou o método de trabalho ou ambos
 ao mesmo tempo.. 
d) ampliar a jornada de trabalho. 
e) ampliar a divisão do trabalho. 

Fonte: Sociologia de Plantão.

Comentários

  1. João Paulo R. S.
    01- E
    02- C
    03- C
    04- C
    05- C
    06- E
    07- A
    08- B
    09- B
    10- E
    11- C
    12- B
    13- B
    14- A
    15- D
    16- E
    17 - B
    18 - B
    19 - B
    20 - C
    21 - A
    22 - B
    23 - D
    24 - B
    25 - E
    26 - A
    27 - C
    28 - D
    29 - D
    30 - B
    31 - B
    32 - D
    33 - E
    34 - C
    35 - C
    36 - B
    37 - C
    38 - B
    39 - C
    40 - D

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE CABE NO MEU MUNDO - Ensino Religioso

SUGESTAO DE DINAMICA